• 1968, o ano que ainda faz pensar: intelectuais indagam sobre a irrupção dos jovens na sociedade industrial

      Soares,Maria Lucia de Amorim; Petarnella,Leandro (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2009-07-01)
      Tendo como referência os embates de intelectuais franceses efetivados durante duas mesas redondas realizadas em Paris, no fervor dos meses de maio/junho de 1968, a partir da pergunta: Por que os estudantes? o presente artigo busca participar da comemoração do quadragésimo aniversário da irrupção dos jovens na sociedade industrial francesa, com seu questionamento sobre a universidade enquanto forma de reprodução de um sistema opressivo e discriminatório; através da análise dos acontecimentos estudantis, busca realçar o verdadeiro cerne da questão: as conseqüências da sociedade industrial tecnocrata que cada vez mais se desenvolve dominada pelo espírito mercantil. Ao trazer à tona e debater documentos da época e depoimentos dos protagonistas identifica a força do impacto de um Movimento que se colocava na perspectiva radical com o modelo de vida, de trabalho, de produção cultural, criando sua própria maneira de decodificar, negar e renovar as relações ossificadas na escola, na família, na cultura, na ação política e econômica.
    • A "RAIES" e a Revista Avaliação a construção de um marco teórico, político e metodológico

      Rothen,José Carlos; Barreyro,Gladys Beatriz (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2011-07-01)
      O texto estuda o "saber" produzido por um dos grupos da rede de poder que criou as políticas de avaliação da educação superior brasileira, reconstruindo o regime de verdade que regula a distribuição dos enunciados na visão emancipatória da avaliação. Ou seja, tendo como referência Foucault: o conjunto de procedimentos regulados para a produção, a repartição, a circulação e o funcionamento dos enunciados. Toma-se como fonte a produção acadêmica publicada na Revista Avaliação pelos membros da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), no período 1996-2002 que é complementada com entrevistas realizadas a membros do grupo. Concluise que a rede elaborou e instituiu um discurso sobre a existência de uma concepção de avaliação: institucional, formativa, participativa, desenvolvendo os seus fundamentos e elaborando uma teoria dessa visão da avaliação. Essa concepção foi colocada como alternativa e contraposição ao Exame Nacional de Cursos, instaurando uma dicotomia entre duas visões de avaliação: a da avaliação institucional formativa/emancipatória e a de desempenho/resultados
    • A agroecologia nos cursos de engenharia agronômica: para além de desafios e dilemas curriculares

      Jacob,Luciana Buainain; Almeida Junior,Antonio Ribeiro de; Azevedo,Maria Antonia Ramos de; Sparovek,Gerd (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2016-03-01)
      Resumo Este texto tem o intuito de problematizar a educação superior em Engenharia Agronômica. Partimos da ideia de que esta educação coloca-se dentro de um processo de legitimação, acumulação e produção de conhecimento, necessário para o funcionamento da sociedade tecno-industrial; tal conhecimento entra em choque com outras formas de conhecimento que o desafiam. No caso da Engenharia Agronômica, a forma desafiante mais destacada é a Agroecologia. Procuramos caracterizar o espaço curricular ocupado pela Agroecologia, que sabíamos ser muito limitado. Analisamos esta falta de espaço apoiando-se em perspectiva orientada pela transição paradigmática social e científica, por meio do estudo dos projetos político-pedagógicos e dos currículos dos cursos públicos de Engenharia Agronômica do Estado de São Paulo. Constatamos que, de forma geral, os cursos estão pautados numa racionalidade que acaba por legitimar a manutenção de um modelo de desenvolvimento rural social e ambientalmente insustentável. É premente a transição para a sustentabilidade. Não obstante, a Universidade continua formando agrônomos que veem a continuidade do sistema dominante e insustentável de agricultura como o único caminho possível. Nossos dados e reflexões indicam que, apesar de haver uma consciência sobre as questões socioambientais de nosso tempo contida nos projetos político-pedagógicos e nos discursos institucionais, ela não só não está expressa nos currículos dos cursos, como aponta para a continuidade da racionalidade econômica. Mudanças paradigmáticas na organização dos cursos precisam manifestar-se no projeto político-pedagógico, na perspectiva institucional e, de forma correlata, nas práticas pedagógicas, no exercício da docência, da pesquisa e da extensão. Tais mudanças demandam um profundo debate e democrático, que inclua docentes, funcionários, estudantes e sociedade, de modo que o projeto político-pedagógico reflita a pluralidade das vozes existentes.
    • A aprendizagem baseada em projectos interdisciplinares: avaliação do impacto de uma experiência no ensino de engenharia

      Fernandes,Sandra Raquel; Flores,Maria Assunção; Lima,Rui Manuel (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2010-01-01)
      Neste artigo apresentamos dados de um projecto de investigação mais vasto que pretende avaliar o impacto de uma experiência de Aprendizagem Baseada em Projectos Interdisciplinares no Mestrado Integrado de Engenharia e Gestão Industrial (MIEGI). Para tal, foi utilizado o Modelo de Avaliação CIPP (Context, Input, Process, Product) de Stufflebeam (2003) como quadro de referência para a avaliação do projecto nas suas várias dimensões. O design da investigação caracterizou-se por uma metodologia eminentemente qualitativa, com recurso a alguns métodos quantitativos. Os resultados da investigação de que damos conta neste artigo baseiam-se, sobretudo, nas percepções dos estudantes sobre o processo de implementação e avaliação desta experiência. No que diz respeito ao seu impacto nos resultados e processos de aprendizagem dos alunos, ele surge associado a uma maior compreensão e aplicação dos conteúdos e ao desenvolvimento de um conjunto de competências transversais, tais como a capacidade de comunicação, de trabalho em equipa, de resolução de problemas, de gestão de conflitos e, ainda, o sentido de responsabilidade.
    • A aprendizagem universitária pós- graduada e inserção profissional

      Martins,António Maria; Parchão,Yvette (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2012-03-01)
      O trabalho que aqui se apresenta resultou de um projeto de investigação mais vasto onde foram estudadas as mudanças: na universidade, em Portugal; nas relações que se estabelecem entre a universidade e a sociedade suporte; nos processos de formação pós- graduada (mestres e doutores) no que respeita aos conteúdos e aos métodos de ensino e de aprendizagem; nos efeitos dessa formação, tanto para os sujeitos como para os sistemas a que estão associados. Desta problemática global apenas damos conta aqui da apreciação feita à formação ocorrida na universidade quanto aos conteúdos, às metodologias de ensino- aprendizagem e aos recursos materiais e humanos colocados à disposição dos formandos e à inserção profissional e níveis de satisfação socioprofissional e pessoal. A importância do estudo decorre dos contributos do conhecimento produzido para a avaliação da universidade. O trabalho foi realizado em quatro universidades e a informação foi recolhida através de inquéritos por questionário e entrevistas, tanto a mestres e doutores como aos responsáveis pela formação realizada. Relativamente às questões que nos propusemos aqui dar conta verifica- se que os conteúdos e os processos de ensino- aprendizagem são bastante satisfatórios tanto na perspectiva individual quanto nos seus efeitos para o sistema económico e educativo. Não obstante são referidas diferenças significativas daquilo que ocorre em outros países europeus. Sobre o outro conjunto de questões são referidos bons níveis de inserção no sistema de emprego/trabalho, adequação entre os conteúdos aprendidos e os desempenhos profissionais e, decorrente disto, elevados níveis de satisfação do ponto de vista pessoal e social.
    • A aula pública como instrumento preditor de desempenho docente no ensino superior

      Apio,Adriana Linhares; Silvino,Alexandre Magno Dias (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2013-07-01)
      Este artigo apresenta uma pesquisa que investigou a aula pública enquanto instrumento de seleção no ensino superior em uma IES privada com fins lucrativos, localizada no DF. A IES é autorizada junto ao Ministério da Educação - MEC e possui todos os seus cursos reconhecidos, bem como oferece pós-graduação lato sensu. A pesquisa teve como objetivo avaliar se a aula pública, enquanto instrumento de seleção é um bom preditor de desempenho docente no ensino superior em IES privada, sendo H1 - A aula pública é preditora do desempenho docente quando avaliado por alunos foi corroborada e H2 -Há forte correlação entre os resultados de Avaliação Pública - AP e da Avaliação Discente - AD. Em decorrência dos resultados observados, verifica-se a necessidade de melhorar o instrumento de avaliação de AP. Uma medida alternativa pode ser oferecer treinamento para as pessoas que avaliam. O método aplicado se define como pesquisa aplicada e de profundidade descritiva; estudo de campo, exploratória e análise documental, tanto dados primários quanto secundários.
    • A autoavaliação institucional no processo de tomada de decisão em IES: estudo de caso das Faculdades SENAC/SC

      Maba,Elita Grosch; Marinho,Sidnei Vieira (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2012-07-01)
      O presente artigo pretende demonstrar em seu contexto a relação existente entre o sistema de autoavaliação institucional e o processo de tomada de decisão, especificamente nas Faculdades de Tecnologia pertencentes à Administração Regional do SENAC-SC. Utilizando uma amostra intencional deste universo, o estudo, realizado em 2010, é caracterizado como descritivo-exploratório, do tipo quali-quantitativo, mediante a aplicação de uma pesquisa bibliográfico-documental, configurada como um estudo multicaso. Nas seis unidades investigadas, foram entrevistados: o diretor da unidade e os coordenadores de áreas (Núcleo Relações com o Mercado, Núcleo Administrativo Financeiro e Núcleos Educacional Básico e do Ensino Superior), aplicando-se um questionário estruturado com questões abertas e fechadas, permitindo a avaliação de aspectos objetivos e quantificáveis e subjetivo-discursivos. Os resultados apontam para a autoavaliação institucional como facilitadora do processo decisório, provendo informações que permitem avaliar determinada situação. Adicionalmente, identificam os pontos fortes e fracos da IES e que melhoram a qualidade das decisões estratégicas, o que confirma a existência da relação pressuposta acima, bem como a importância do processo de autoavaliação institucional. Mostram, ainda, a necessidade de revisão da estrutura, visando aprimorar a apropriação dos dados levantados pela autoavaliação e aplicados como suporte no processo de tomada de decisão das instituições do universo analisado. Por fim, a hipótese de pesquisa, em base a esses resultados, acabou sendo validada, ratificando tal relação.
    • A avaliação da educação superior diante de uma colonialidade do saber e do poder: a participação política discente

      Campos,Douglas Aparecido de (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2017-04-01)
      Resumo: Este artigo é o resultado de investigação em pós-doutorado que analisou e discutiu a participação política dos estudantes nos espaços democráticos de duas universidades públicas: no Brasil e Portugal. Sob o enfoque do colonialismo, ainda presente na atualidade, e da colonialidade do poder e do saber nas interações acadêmicas desenvolvemos as discussões, tendo como fundamentação o referencial teórico de Boaventura de Sousa Santos. Investigamos os fatores que provocam essa despolitização dentro da comunidade acadêmica, principalmente, os que afetam e criam culturalmente essa omissão do corpo discente nas deliberações próprias dos setores da universidade, instituição esta, que deveria garantir o direito de participação política em todas as suas instâncias. Temos como pontos principais: primeiro, o de que democracia e participação são entes distintos, mas, convergentes; segundo, que a participação exige pelo menos três condições: o caráter cultural, o caráter político e caráter epistemológico. Neste contexto desenvolveremos no primeiro momento a democracia como princípio e a estrutura organizacional como fundamento das universidades públicas, a partir das mudanças implementadas nos últimos anos nas universidades brasileiras com a Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - REUNI; no segundo momento, o colonialismo, ainda, presente nas universidades, bem como a descaracterização de sua estrutura (fundamento), a partir das relações de poder entre suas bases, principalmente, no que diz respeito às relações entre corpo docente e discente. Os instrumentos metodológicos principais foram questionários e entrevistas. Os resultados demonstraram que em ambas as instituições não há formação política orientada ao corpo discente. Os alunos entram e saem da universidade despolitizados.
    • A avaliação da educação superior em escala global: da acreditação aos rankings e os resultados de aprendizagem

      Barreyro,Gladys Beatriz (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2018-03-01)
      Resumo: Desde as décadas finais do século XX, a globalização tem impactado as políticas educacionais, criando uma agenda globalmente estruturada para a educação (DALE, 2010). Nos sistemas educativos nacionais surgiu preocupação pela avaliação e, no caso da educação superior, políticas relativas à aferição da sua qualidade começaram em torno dos anos de 1980, sendo essa a primeira fase do Estado Avaliador (AFONSO, 2013; NEAVE, 2012). Nesse marco, o texto analisa as tendências atuais de avaliação da educação superior em nível global desde fins do século XX até o presente, através de três políticas: a acreditação/avaliação da educação superior; os rankings internacionais de universidades e a avaliação de resultados de aprendizagem. Pretende-se analisar essas três políticas e verificar se elas estão conduzindo a educação superior à fase pós-Estado Avaliador (AFONSO, 2013), em que cada vez os Estados Nacionais terão menos autonomia perante outras instituições que compõem a governança global da educação superior (DALE, 2010).
    • A avaliação da produção textual nos vestibulares e outros concursos: a questão da subjetividade

      Mendes,Eliana Amarante de Mendonça (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2013-07-01)
      O objetivo deste artigo é refletir sobre o problema da subjetividade na avaliação de redações em vestibulares e outros concursos e demonstrar a inviabilidade de se manter tal tipo de prova, dada a impossibilidade de se fazer justiça aos candidatos. Apresento uma sucinta revisão bibliográfica sobre o tema, alguns dados históricos sobre a avaliação através dos tempos e o estado da arte no Brasil. Analiso o sistema de avaliação de redações do ENEM, mostrando sua insustentabilidade. Apoio-me, teoricamente, em Bakhtin e em especialistas em avaliação. Apresento, também, uma pequena pesquisa empírica sobre o sistema de avaliação de redações do ENEM.
    • A avaliação das aprendizagens no contexto do estágio no 1º ciclo do ensino básico português: o relato do supervisor da universidade

      Ferreira,Carlos Alberto; Bastos,Ana Maria (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2017-08-01)
      Atualmente, a formação inicial de professores do 1º ciclo do ensino básico português, isto é, a formação inicial de professores que irão lecionar aos primeiros quatro anos de escolaridade obrigatória portugueses, vive mudanças significativas em termos curriculares e pedagógicos e, consequentemente, também a avaliação das aprendizagens dos futuros professores daquele nível de ensino. Dada a importância do estágio na formação desses futuros professores, foi nossa intenção compreendermos a prática de avaliação das aprendizagens dos estagiários através do discurso do supervisor de estágio da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (Portugal). Este estudo fez parte de uma investigação mais ampla sobre as práticas de avaliação das aprendizagens relatadas por professores que formam esses profissionais para o ensino naquele ciclo da educação básica portuguesa. Tendo acedido ao discurso do supervisor de estágio através de uma entrevista semi-estruturada, os resultados obtidos nesta investigação, feita em contexto português, permitiram-nos concluir que ele procura realizar uma prática de avaliação formativa e formadora das aprendizagens, concretizada pela delimitação e informação dos futuros professores dos critérios de avaliação das diferentes tarefas de estágio, pela utilização de diversos instrumentos de recolha de informações, pelo feedback contínuo dado aos estagiários e pelo acompanhamento e orientação individualizados à prática docente de cada estagiário.
    • A avaliação institucional nas universidades federais e as comissões próprias de avaliação

      Peixoto,Maria do Carmo de Lacerda (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2009-03-01)
      A autora analisa as possibilidades que a avaliação institucional, como instrumento para sua formulação de políticas visando aprimorar a gestão, oferece para as universidades federais. Tendo em vista as especificidades dessas instituições, busca avaliar os limites e as perspectivas que elas encontram na realização do modelo de avaliação institucional do SINAES, em que as Comissões Próprias de Avaliação - CPAs se constituem num organismo de grande importância. Por meio de dados qualitativos e quantitativos são analisados, principalmente, aspectos relativos à composição dessas comissões e ao lugar que elas ocupam na estrutura das universidades federais.
    • A avaliação no ensino superior privado como tecnologia neoliberal de regulação

      Nunes,Mário Luiz Ferrari; Neira,Marcos Garcia (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2015-07-01)
      Resumo Este artigo analisa como as práticas avaliativas presentes no currículo de Licenciatura em Educação Física de uma instituição privada de Ensino Superior subjetivam sujeitos em meio à cultura empresarial mediante alusões à eficiência, flexibilidade e mérito. Os dados empíricos foram confrontados com as contribuições que os Estudos Culturais, em sua vertente pós-estruturalista, têm proporcionado aos debates sobre o currículo. Os resultados indicam que os sujeitos são falados, pensados e constituídos no interior de práticas avaliativas que contribuem para a consolidação da ideologia neoliberal na qual o Estado assume papel de auditor e os sujeitos tornam-se clientes responsáveis por si mesmos.
    • A Construção do processo democrático de auto-avaliação institutucional na UNESP

      Grego,Sonia Maria Duarte; Pinho,Sheila Zambello de; Bráz,José Reinaldo Cerqueira; Oba,Eunice; Raphael,Hélia Sonia; Matos,Maria Cristina Fumie Iwana (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2007-06-01)
      O desenvolvimento de um processo democrático de avaliação institucional na UNESP, uma universidade multi-campus, envolveu três desafios: garantir o envolvimento de grupos representativos da comunidade no processo de avaliação; atribuir poder e responsabilidade a cada setor acadêmico e administrativo no processo de avaliação; criar uma cultura de auto-avaliação e reflexão que possibilitasse debate crítico e auto-gestão dos projetos acadêmicos. Com base nos termos de referência estabelecidos pela comunidade a CPA desenvolveu uma metodologia de avaliação democrática e investigativa, orientada para a auto-gestão e de natureza quali-quantitativa. Fundamentada em três enfoques teóricos de avaliação, o democrático, o de tomada de decisão e o crítico o processo envolveu três funções: a diagnóstica, a formativo-reflexiva e a de revisão crítica. Atualmente os usos dos resultados da avaliação para orientar políticas e decisões acadêmicas, especialmente nos cursos de graduação, evidenciam avanços no processo de internalização de cultura de avaliação orientada para auto-gestão.
    • A contribuição da avaliação in loco como fator de consolidação dos principios estruturantes do SINAES

      Francisco,Thiago Henrique Almino; Melo,Pedro Antonio de; Nunes,Rogério da Silva; Michels,Expedito; Azevedo,Maria Ines Nava (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2012-11-01)
      O artigo versa sobre a contribuição de avaliação in loco no sentido de promover a consolidação dos princípios norteadores do SINAES a partir de uma reflexão construtiva entre os consultores ad hoc e a instituição. A digressão teórica elenca aspectos relacionados a construção da identidade institucional, a partir da contribuição da avaliação e o retrospecto da avaliação institucional no Brasil. Elenca, ainda uma reflexão sobre o modelo do SINAES e os princípios estruturantes e norteadores do Sistema, destacando a contribuição do processo de avaliação in loco na construção da epistemologia institucional. Para tanto, as interações metodológicas ocorrem sob as bases da pesquisa acadêmica, de caráter documental indireto e que se classifica como sendo descritiva-explicativa, predominantemente qualitativa e designada como sendo uma pesquisa participante. As investigações construtivistas permitem concluir, entre outros desígnios, que do ponto de vista dos avaliadores ad hoc os aspectos que determinam o cumprimento dos princípios estruturantes do SINAES no contexto da avaliação institucional das instituições de educação superior no Brasil ensejam uma relação construtivista, democrática e de aprendizado mutuo e continuo entre avaliadores e a própria instituição, a qual é a responsável pela consolidação destes princípios no âmbito do ensino superior brasileiro.
    • A dimensão teórica da formação dos formadores em didática e práticas de ensino: influências no pensamento contemporâneo e repercussões nas práticas de formação

      Baibich-Faria,Tânia Maria (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2009-11-01)
      Identifica e analisa os referentes teóricos que os autores nacionais, professores simposistas do XV Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino 2008, utilizam para qualificar práticas de formação, em especial da educação superior. Analisa como esses referentes influenciam a produção brasileira contemporânea e são reconhecidos no pensamento e produção de 46 simposistas que responderam aos questionários, via correio eletrônico. Levando em conta os resultados das informações obtidas no campo empírico, é possível indicar pelo menos quatro grupos de análise que podem ajudar na sistematização das respostas: os livros mais importantes na formação; os brasileiros mais citados na área; os estrangeiros preferenciais nas atividades como docente/pesquisador e os brasileiros preferenciais nas atividades como docente/pesquisador. Guardadas as distintas especificidades, a preocupação com as relações entre saber e poder bem como com a historicidade da formação do professor dá-se de maneira contundente. Há, de parte dos sujeitos dessa pesquisa, o que se pode denominar de "sujeitos endereço" na área da Didática e das Práticas de Ensino no país, que defendem uma explícita opção epistemológica voltada às teorias críticas e/ou pós-críticas e pós-colonialistas que permitem ver a educação de uma nova perspectiva ao retirarem o foco de conceitos simplesmente pedagógicos de ensino e aprendizagem e colocarem-no na análise dos conceitos de ideologia e poder. Observa não haver na comunidade epistêmica analisada endogenia ou colonização e que autores brasileiros são reconhecidos como referência para todas as áreas do ENDIPE.
    • A discussão sobre avaliação nas reuniões anuais da ANPEd no período 2000 a 2010

      Silva,Itamar Mendes da (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2013-07-01)
      O presente trabalho objetiva refletir sobre e divulgar resultados de investigação que buscou identificar a presença da discussão da temática avaliação nos trabalhos e pôsteres disponibilizados no sítio da ANPEd no período de 2000 a 2010. Focou-se o espaço ocupado pela avaliação nos GTs em que se organizam as Reuniões Anuais. Os resultados do estudo qualitativo indicaram que a temática representa menos de 3% do total de trabalhos e que as origens principais destes são pesquisas. Os/as autores/as, em geral, têm apenas um trabalho sobre o tema divulgado nos Anais. Também foi possível identificar reduzido número de autores/as produzindo continuadamente sobre o tema e concentração da produção em instituições do sudeste.
    • A divulgação da avaliação da educação na imprensa escrita: 1995-2010

      Rothen,José Carlos; Barreyro,Gladys Beatriz; Prado,Aryane de Paula; Bortolin,Leticia; Cavachia,Raiani Cristina (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2015-11-01)
      Resumo A imprensa, a partir de meados da década de 1990, tornou-se um dos atores importantes para a consolidação das políticas de avaliação da educação na realidade brasileira. Usando como fonte documental o jornal Folha de S. Paulo, as revistas Veja e Época, no período compreendido entre 1995 e 2010, no artigo reconstrói-se a maneira como estes meios de comunicação impresso divulgam e fazem uso dos resultados das avaliações. Conclui-se que as mídias analisadas têm contribuído para a legitimação da avaliação da educação e é presente nas matérias a ideia de que a avaliação é uma prova que permite controlar a qualidade da educação.
    • A educação internacional e os resultados de cooperação Brasil-Alemanha na Unicentro

      Rauen,Margarida Gandara; Filho,Afonso Figueiredo (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2016-11-01)
      Resumo: A silenciosa revolução da educação internacional demanda reformas que afetam todos os níveis da educação. No Brasil, enquanto enviamos nossos bolsistas ao exterior, também nos deparamos com os enormes desafios da oferta de educação pública "em casa." A avaliação da mobilidade internacional, portanto, muito além de qualquer rotina, implica o aspecto ético de sua relevância social, principalmente quanto ao desenvolvimento de ações de cooperação e o seu impacto nos cursos de graduação e pós-graduação. Nos estágios iniciais de internacionalização, o estabelecimento de parcerias internacionais por meio de projetos de pesquisa e mobilidade é uma estratégia eficiente, mas nem todo programa proporciona ações de cooperação. Neste trabalho, consideramos os resultados de uma abordagem construtivista na internacionalização do Curso de Engenharia Florestal da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) com o apoio das agências governamentais CAPES (Brasil) e DAAD (Alemanha).
    • A educação superior na economia do conhecimento, a subalternização das ciências sociais e humanas e a formação de professores

      Afonso,Almerindo Janela (Publicação da Rede de Avaliação Institucional da Educação Superior (RAIES), da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e da Universidade de Sorocaba (UNISO)., 2015-07-01)
      Resumo Na primeira parte do artigo, faz-se uma breve reflexão sobre a universidade no contexto da economia do conhecimento. Numa segunda parte, tendo em conta essencialmente a realidade portuguesa, questiona-se a subalternização crescente das ciências sociais e humanas e, dentro delas, das ciências da educação. Por último, chama-se a atenção para o facto de os dilemas atuais na formação de professores poderem ser, pelo menos em parte, discutidos como consequência da discrepância entre a importância potencial do conhecimento das ciências da educação e a baixa atenção ou desvalorização que estas recebem da parte da sociedade, dos decisores políticos e, por vezes, da própria comunidade científica. Em qualquer dos casos, estas situações nunca são indiferentes às visões e orientações político-ideológicas dominantes.