Show simple item record

dc.contributor.authorEduardo Calil
dc.date.accessioned2019-10-25T06:59:48Z
dc.date.available2019-10-25T06:59:48Z
dc.date.created2017-09-25 09:44
dc.date.issued2012
dc.identifieroai:redalyc.org:29824608009
dc.identifierhttp://www.redalyc.org/articulo.oa?id=29824608009
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/20.500.12424/1355236
dc.description.abstractInserido no campo de estudos sobre processos de criação textual na escola (genética textual) e processos enunciativos (linguística da enunciação), o presente artigo apresenta uma discussão sobre as rasuras orais que emergem durante a escritura de uma história inventada, quando duas alunas recém-alfabetizadas (7 anos de idade) combinam e escrevem juntas um mesmo manuscrito escolar. A partir de considerações em torno do acaso da emergência dessas rasuras no fluxo do dizer e do dialogismo interlocutivo e interdiscursivo que constitui o dizer dessas alunas, descrevem-se algumas de suas formas de manifestação, acompanhadas por comentários que impedem ou justificam a entrada de um elemento na posição de outro. Respeitando as características etnolinguísticas, o processo de criação textual foi filmado em uma sala de aula da cidade de São Paulo e transcrito por meio do programa Eudico Linguistic Annotator (ELAN). A transcrição efetivada, ao associar e sincronizar a simultaneidade dos vários elementos (linguísticos, entoacionais, discursivos e gestuais) que emergiram no fluxo do dizer, permitiu a identificação de diferentes tipos de comentários, caracterizados como pragmáticos, textuais e semânticos. A análise enfatiza, de um lado, o azar e o instante de sua ocorrência, e, de outro, o dialogismo interlocutivo e interdiscursivo presente no modo de dizer das alunas. O desacordo intersubjetivo identificado no texto dialogal destaca um termo, questionando-o e comentando-o, de forma que ele pode ser substituído, inserido ou suprimido do texto final. O caráter fortuito e dialógico dos retornos dos escreventes sobre o que foi dito caracteriza a rasura oral e é o testemunho das posições subjetivas que singularizam tanto o processo de escritura quanto o manuscrito escolar.
dc.format.mediumapplication/pdf
dc.languagept
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade de São Paulo
dc.relation.ispartofhttp://www.redalyc.org/revista.oa?id=298
dc.rightsEducação e Pesquisa
dc.sourceEducação e Pesquisa (Brasil) Num.3 Vol.38
dc.subjectEducación
dc.subjectDialogismo
dc.subjectDiálogo
dc.subjectEscritura
dc.subjectRasura
dc.subjectEscola
dc.subjectAlfabetização
dc.titleRasuras orais em madrasta e as duas irmãs: processo de escritura de uma díade recém-alfabetizada
dc.typeArtículo científico
ge.collectioncodeOAIDATA
ge.dataimportlabelOAI metadata object
ge.identifier.legacyglobethics:11338983
ge.identifier.permalinkhttps://www.globethics.net/gel/11338983
ge.lastmodificationdate2017-09-25 09:44
ge.lastmodificationuseradmin@pointsoftware.ch (import)
ge.submissions0
ge.oai.exportid149403
ge.oai.repositoryid3008
ge.oai.streamid2
ge.setnameGlobeEthicsLib
ge.setspecglobeethicslib
ge.linkhttp://www.redalyc.org/articulo.oa?id=29824608009


This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record