Educação & Realidade main objective is the dissemination of scientific production in education and encouragement of academic debate for the production of new knowledge. It also aims at the expansion of analytical tools in order to expand the borders of thinking and practice in education. Educação & Realidade publishes articles – based in theoretical studies, research, reflections on concrete practices and current or controversial debates – related to various areas in the field of education and their interfaces with the arts, philosophy, letters, social sciences and humanities. The texts published in Educação & Realidade, in Portuguese, Spanish or English, offer a perspective that contributes to the discussion and advancement of the ways the themes have been currently treated in the field of education. The plurality of theoretical perspectives is one of the pillars of the editorial policy of Educação & Realidade, as evidenced by its history of leadership in proposing burning issues in education. The journal aims to serve as a central vehicle for not only the knowledge and research that are already consolidated, but also for innovative perspectives in terms of methodology and for texts that offer alternatives to established models in the area.

Notícias

The Globethics.net library has articles of Educação & Realidade as of vol. 37(2012) to current.

Submissões recentes

  • O Mestre Ignorante e outras Histórias sobre a Escola

    Valle, Lílian de Aragão Bastos do (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2019-11-28)
    Resumo: Sem dúvida a mais marcante característica da política educacional que vem sendo anunciada pelo novo governo brasileiro é a pretensão de fazer da formação moral o eixo das profundas mudanças pretendidas. Se, no campo das práticas, essa proposta ainda genérica parece de difícil execução, no terreno dos discursos ela reacende uma polêmica que se resolveu, na história da escola pública brasileira, pela aparente vitória do cognitivismo moderno sobre o conservadorismo de matriz religiosa. Pretendendo escapar aos limites desse antagonismo histórico, que teria levado da escola tradicional à escola moderna, o presente artigo propõe a análise de uma outra passagem - aquela que, na obra de Jacques Rancière, leva da crítica a um iluminismo bem-pensante até uma concepção que tem na experiência propriamente estética da realidade social e suas divisões seu principal fundamento.
  • Street Discussion Spaces in Post-conflict Côte d’Ivoire: non-formal learning, dialogue and daily life

    Tsolakis, Marika (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2018-09-01)
    Abstract: This paper frames the daily life of education outside of formal school, by considering two types of non-formal discussion spaces in Côte d’Ivoire. I argue that both traditional and modern learning were reinvented in the street in response to the Ivoirian political crisis through the proliferation of spaces called grins and agoras. At daily meetings, teenagers and adults gathered important information regarding the crisis and also learned how to be in a conflicted society, often through dialogic encounters between members of different generations, professions and experiences. In the post-conflict context, these spaces, and the dialogue within them, have evolved to meet the changing needs of participants, further highlighting the connection between learning in everyday life and the surrounding structures and systems.
  • Neo-Fascismo, Capitalismo e Educadores Marxistas

    Hill, Dave (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2021-11-10)
    RESUMO Meu foco neste artigo está na educação marxista revolucionária, distinguindo-a, em particular, das versões centrista e de esquerda da socialdemocracia/revisionismo. Nesse sentido, apresento o que considero serem cinco aspectos-chave da crítica dos marxistas sobre a política educacional e apresento propostas, e busco cumprir, relacionadas a: (i) Currículo e Avaliação, (ii) Pedagogia, (iii) A Cultura Organizacional dentro da Escola / Instituição, (iv) Organização do Sistema de Ensino e dos Alunos, ou seja, escolaridade integral ou seletiva, e (v) Propriedade e Controle de Escolas, Faculdades e Universidades. A conclusão expõe o que há de especificamente marxista nas propostas apresentadas.
  • Capitalismo, Classe e Meritocracia: um estudo transnacional entre o Reino Unido e o Brasil

    Wayne, Michael; Cabral, Vinícius Neves de (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2021-11-10)
    RESUMO A partir das bases teóricas do marxismo, este ensaio concentra-se na análise dos papéis desempenhados pela meritocracia no sistema capitalista e seus impactos sobre a classe trabalhadora. Este estudo transnacional discute os aspectos econômicos, ideológicos, culturais e políticos da meritocracia no Reino Unido e no Brasil. Em resumo, nossas análises apontam na direção do que nós chamamos de ‘uma estrutura de valores, de práticas, de significados e de símbolos meritocráticos’. Ao reproduzir as relações capitalistas de poder e classe, a meritocracia funciona como um pilar ideológico da hegemonia do capitalismo e uma justificativa para as desigualdades que ele mesmo engendra.
  • A Noção de Experiência na História da Sexualidade: implicações políticas e formativas

    Pich, Santiago (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2021-08-18)
    Resumo: O artigo trata do problema da experiência no terceiro domínio da obra de Michel Foucault, tomando como principal fonte os três primeiros volumes da História da sexualidade. Nele, analisa-se o lugar da experiência como uma categoria estruturante da obra e do pensar do intelectual francês, mostrando o caráter constitutivamente político dessa elaboração e os desdobramentos possíveis para pensar a formação humana. A experiência é concebida como um modo de relação consigo que implica a transformação de si a partir de uma lenta elaboração artesanal da própria existência, que se dá sempre na relação com o Outro, o que possibilita conceber a formação humana a partir da constituição ética-estética-política do sujeito nessa relação.
  • As Lições Ainda Insuspeitas de Michel Foucault acerca da Formação Humana

    Freitas, Alexandre Simão de (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2015-03-01)
    Trinta anos após sua morte, os educadores se veem ainda assombrados com as faces espectrais de Michel Foucault. A reativação da noção de cuidado de si tem provocado uma redescrição nos usos da sua caixa de ferramentas, recolocando em questão algumas temáticas recalcadas pelo projeto pedagógico da modernidade. Assim, nosso objetivo consiste em explorar alguns elementos do legado ético-espiritual de Foucault, tendo em vista o agenciamento de outros processos de formação humana.
  • O Retrato da Exclusão nas Universidades Brasileiras: os limites da inclusão

    Cabral, Vinícius Neves de; Orlando, Rosimeire Maria; Meletti, Silvia Márcia Ferreira (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-12-02)
    Resumo: O artigo objetiva apresentar um panorama do acesso de pessoas com deficiência ao ensino superior no Brasil. Durante décadas, as políticas públicas têm promovido e defendido práticas educacionais inclusivas, mas, apesar de algumas melhorias, o sistema educacional ainda parece ter dificuldades para acomodar alunos com deficiência. Os dados foram extraídos das bases de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Os resultados apontam que as medidas governamentais priorizaram a expansão de instituições privadas, enquanto a representação de estudantes com deficiência nas universidades brasileiras continua sendo um cenário de exclusão.
  • Dominação e Resistência na Escolarização Cristianizada na Amazônia

    CÂNCIO, Raimundo Nonato de Pádua; Araújo, Sônia Maria da Silva (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2021-04-12)
    Resumo: O objetivo deste estudo é demonstrar como a escolarização cristianizada, mobilizada por missionários norte-americanos, foi apropriada pelos indígenas Waiwai da Aldeia Mapuera, estado do Pará, Amazônia brasileira. Metodologicamente, trata-se de um estudo de caso do tipo etnográfico realizado no Território Indígena Nhamundá-Mapuera/PA com professores e sujeitos indígenas. No plano teórico, a análise dos dados se inspira na teoria decolonial. Os resultados mostram que os Waiwai não aceitaram passivamente o processo imposto, não obstante compreenderem a escolarização como um valor irremediável. Práticas de dominação e resistência, contraditoriamente, foram sendo estabelecidas e hoje atuam como instrumental de sobrevivência.
  • Um Sentido para a Experiência Escolar em Tempos de Pandemia

    Carvalho, José Sérgio Fonseca de (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2021-01-11)
    Resumo: No presente artigo a emergência da pandemia global é analisada como um fator que torna ainda mais visível e aguda a crise da educação. Isso ocorre porque à não presencialidade espacial dos alunos agrega-se o esvaziamento da dimensão temporal da educação. Esse esvaziamento é tratado a partir da narrativa da experiência escolar de uma adolescente. Sua interpretação e análise apontam para a necessidade de a experiência escolar propiciar a seus alunos a oportunidade de habitarem um outro mundo no tempo e no espaço por meio do acesso e da ressignificação de obras ficcionais e historiográficas nas quais a experiência de viver uma pandemia seja reconfigurada à luz do presente.
  • A Redescrição de Rorty e o Contexto Pedagógico: possibilidades enunciativas

    Trevisan,Marlon Dantas; Carneiro,Marcelo Carbone (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: O texto analisa relações da redescrição de Rorty - perspectiva filosófica analítica, neopragmática - e abordagens sobre educação, tendo como objetivos específicos: refletir sobre epistemologia, em especial o abandono da noção de conhecimento como representação; meditar sobre a redescrição como metaprática inerente aos contextos da educação básica e superior, inspirando rotinas pedagógicas mais libertárias, éticas, criativas e políticas; apresentar a redescrição intitulada Negociações Cronocapilares, de 2019, produzida no Centro Oeste, instalação artística que deverá circular por escolas estaduais. A redescrição, metodologia do ensaio, propõe um desafio docente, ao questionar, desde os fundamentos do conhecer, até mesmo práticas educativas.
  • Os Sujeitos da EJA nas Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos

    Santos,Pollyana dos; Silva,Gabriela da (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: O trabalho refere-se ao estado do conhecimento das produções científicas sobre sujeitos da EJA no Brasil. O problema de pesquisa foi: quais os principais fundamentos teórico-metodológicos presentes nas produções resultantes das pesquisas no campo da Educação de Jovens e Adultos no Brasil que versam sobre os sujeitos estudantes? A coleta de dados utilizou os descritores: sujeitos+EJA, identidade+EJA e sociabilidade+EJA. A análise dos 13 artigos localizados evidenciou: o caráter interdisciplinar dos estudos; a predominância de pesquisas qualitativas; a diversidade teórica que fundamenta esse campo de investigação. Diante do restrito número de publicações, percebeu-se a importância de explorar essa área de pesquisa e produção do conhecimento.
  • Antropologia da Educação: introdução

    Bartlett,Lesley; Triana,Claudia (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: O que é antropologia da educação e qual é sua contribuição para o estudo da educação? Estas perguntas orientam este número especial da revista Educação & Realidade. As antropologias de educação variam ao redor do mundo (Anderson-Levitt, 2012a). Aliás, conforme Elsie Rockwell (2002, p. 3) observa, “[…] as categorias analíticas usadas para elaborar textos etnográficos não são autônomas; estão enraizados nas sociedades em que são usadas primeiro e refletem os modos concretos de nelas construir a diferença”. No entanto, podemos identificar alguns compromissos fundamentais que evoluíram ao longo do tempo.
  • Os Campos Político e Acadêmico e o Discurso Sobre Educação Especial

    SOUZA,Sirleine Brandão de (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Objetivou-se analisar e discutir permanências e rupturas na identidade da educação especial e a estreita relação entre o campo acadêmico e as políticas educacionais. Recorreu-se às contribuições de Pierre Bourdieu, especificamente os conceitos de linguagem e campo e como metodologia à análise das narrativas produzidas em publicações da Revista Brasileira de Educação Especial. Concluiu-se que a relação entre esses campos reflete a busca incessante de um conjunto de pesquisadores para precisar com maior cuidado o campo da educação especial e a coexistência temporal de perspectivas afins, distintas e antagônicas, configurando ao campo uma identidade multifacetada, refletindo o movimento contraditório da sociedade e das políticas sociais.
  • Transmundificar: encontrar seu caminho nos espaços e negociar o eu no ensino on line

    Koyama,Jill (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Com base em dados de uma etnografia com duração de quarenta e dois meses acerca de redes de refugiados no Arizona, exploro a questão de jovens refugiados forjando identidades e espaços híbridos em contextos educacionais dos Estados Unidos. Ao utilizar a noção de abrir espaço (Das Gupta, 2006), demonstro como eles captam vídeos em webcam de um campo de refugiados ou música de seu país natal enquanto realizam tarefas de aula em um programa on line de recuperação de créditos ou disciplinas de Ensino Médio. Eles se envolvem naquilo que refiro como transmundificar, ou a prática de mediar identidades emergentes e encontrar seu caminho em mundos figurados (Holland; Lachicotte; Skinner; Cain, 1998) de aprendizagem de refugiado ao enfrentar práticas educacionais normativas e marginalizantes.
  • Constelações Transnacionais de Cuidado e Educação: laços de crianças i/migrantes com famílias transfronteiras

    Oliveira,Gabrielle (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Muitas vezes os pesquisadores educacionais se interessam pelas diferenças linguístico-culturais que os estudantes imigrantes trazem à escola, negligenciando a proeminência da cidadania legal e cultural para a formação da identidade e a participação em sala de aula. Além disso, em geral rotulam as crianças (i)migrantes como estudantes e aprendizes de língua inglesa ou, (mais raramente) bilíngues emergentes. Esta rotulação estreita dificulta evidenciar determinados aspectos das complexas vivências dos estudantes, com implicações importantes para a aprendizagem. Este artigo destaca evidências antropológicas para apresentar maneiras mais holísticas de representar e discutir as vivências de famílias imigrantes em um mundo globalizado. Este artigo questiona: como uma perspectiva antropológica sobre famílias transnacionais pode nos ajudar a compreender como a imigração modela a vida educacional das crianças? Assim, abordo como as constelações transnacionais de cuidado como abordagem metodológica contribuem para discussões continuadas sobre equidade e pertencimento em estudos no campo educacional.
  • A Educação nas Tramas da Linguagem

    Sichelero,Junior Jonas (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Este artigo tem por objetivo trazer à discussão o tema da linguagem a partir da perspectiva hermenêutica inscrita no pensamento heideggeriano. Tendo como fio condutor o método fenomenológico-reconstrutivo, explora algumas possibilidades interpretativas que esta tradição de pensamento oferece para a construção de um diálogo com a educação. Assim, desde uma dobradiça de análise com a educação, busca olhar para a linguagem a partir de seus princípios internos de proliferação e, na contramão das concepções clássicas sobre o tema, expõe a tese de que nada acontece fora da linguagem. Por fim, entende que é na linguagem que moram às possibilidades de instauração de sentido em educação.
  • Brincar de Escolinha: relatos de brincadeiras infantis de professoras dos anos iniciais do ensino fundamental e os amanhãs pós-feministas

    Campbell Galman,Sally; Mallozzi,Christine A. (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Não apenas muitas garotinhas nos Estados Unidos e em outros lugares brincam de escolinha, mas, por vezes, ao crescerem, se tornam professoras, um ponto em que o relato de brincadeiras se escolinha assume uma nova função narrativa e discursiva. Por meio de teorias da narrativa e da performance e da análise de discurso, examinamos relatos de brincadeiras de escolinha contados como parte de um estudo qualitativo multilocal de histórias de vida de professoras norte-americanas dos anos iniciais do ensino fundamental graduadas recentemente e em formação. Analisamos estas narrativas com um olhar sobre a cultura pop e os tempos de menina a partir de meados da década de 1990 até seu final e outro sobre como o brincar de escolinha é colocado tanto em prática quanto discursivamente. Implicações para a preparação e a identidade profissional de professores, além da face sexista do trabalho docente, concluem o artigo.
  • Respeito à Participação de Pais Aborígenes com a Aprendizagem de seus Filhos

    Harwood,Valerie; Murray,Nyssa (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: Na Austrália (e possivelmente em muitos outros países), a participação parental na aprendizagem dos filhos é dominada por noções ocidentais de aprendizagem, educação, pedagogia e conhecimento. Discutimos a aplicação de uma antropologia crítica sob o ângulo da educação a estes discursos e recursos metodológicos dominantes, pois nos incentiva a estar no campo, despender tempo e, com reflexividade crítica, escutar e aprender. Descrevemos como trabalhamos para criar uma abordagem Aborígene-Orientada e nos embasamos em Protocolos de Pesquisa Aborígene para manter uma ênfase firme e acentuada sobre nossa prática como pesquisadoras.
  • Problematização do Ensino e da Formação de Professores de Filosofia no Brasil Atual

    Avanço,Leonardo Dias (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: O objetivo deste artigo é elucidar dois problemas radicais: o primeiro diz respeito aos obstáculos relativos ao reconhecimento da ampliação do conceito de filosofia, enquanto o segundo concerne à retomada da compreensão da natureza específica da atividade filosófica. Abordam-se os conceitos de humanidade e de filosofia em perspectiva uni-versal, bem como a originária função antropológica da docência. Essa abordagem contribui atualmente com o alargamento da liberdade no âmbito da intervenção educativa de professores de filosofia em variados níveis de ensino no Brasil e em contextos similares. Conclui-se com o ensaio de uma síntese das soluções propostas aos referidos problemas.
  • Culturas de Responsabilização em Educação Infantil no México

    Anzures Tapia,Aldo (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Faculdade de Educação, 2020-01-01)
    Resumo: As políticas de responsabilização têm o objetivo de melhorar a qualidade educacional; porém, muitas vezes, interferem na qualidade da educação, inclusive na educação bilíngue. Com base em dezoito meses de trabalho etnográfico em uma pré-escola indígena multisseriada na península de Yucatán, no México, descrevo como Elisa, professora, diretora e zeladora, cumpria as exigentes tarefas administrativas enquanto implementava diferentes programas governamentais que impunham sobre ela uma significativa carga burocrática. Isto também a levava a deslocar sua atenção de uma cultura de responsabilização por ensino-aprendizagem para uma cultura de responsabilização burocrática. Este estudo mostra que a educação infantil em comunidades indígenas no México depende da perspicácia e da preparação de trabalhadores da linha de frente, como professores e supervisores escolares, pois cumprem com habilidade a cultura da responsabilização burocrática imposta pelas políticas governamentais enquanto tentam não sacrificar uma responsabilização frente ao seu próprio dever junto aos estudantes.

Ver mais