Educação e Pesquisa [Education and Research] is a journal published by the Faculdade de Educação at the Universidade de São Paulo — FEUSP (School of Education at the University of São Paulo, founded in 1969). As of 2018, it is edited continuously in single annual volume. Published since 1975, the journal welcomes articles in Portuguese, Spanish, and English, with abstracts in the original language and also in English. The journal publishes original articles and research reports in education, as well as book reviews, special documents, and translations made by teachers and researchers from the University, and also from other institutions. Former Title: Revista da Faculdade de Educação

News

The Globethics.net library contains articles of Educação e Pesquisa as of vol. 25(1999) to current.

Recent Submissions

  • Do amor como falta: uma abordagem pedagógica

    Franzi, Juliana; ARAÚJO, Ulisses Ferreira de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2019-11-25)
    Resumo No presente artigo assumimos o objetivo de elucidar a relevância de se tomar o amor como falta enquanto objeto de estudo da educação escolar, abordando-o, especialmente a partir da educação moral. Para tanto, partimos de uma revisão bibliográfica sobre o tema, evidenciando a tensão entre razão e emoção que permeou a compreensão sobre o amor, bem como a valorização do amor marcado pela falta. Em contraposição a tais entendimentos, enfatizamos uma perspectiva que compreende que o amor requer retribuição, tratando-se, portanto, de uma relação que não se sustenta unilateralmente e, de igual modo, salientamos a necessidade do autoconhecimento, do autocuidado e da autoestima. Com base em tais apontamentos, destacamos a importância de uma abordagem pedagógica sobre o tema e explicitamos as justificativas e os possíveis caminhos metodológicos e epistemológicos que sustentam uma abordagem pedagógica acerca do amor, entendendo, pois, que a educação formal apresenta-se como um terreno profícuo para que a afetividade seja trabalhada de maneira pedagógica, visando favorecer a tomada de consciência acerca dos sentimentos e das ações que pautem a vivência de relações afetivas e amorosas mais justas e igualitárias. Nessa direção, apontamos o amor como um tema transversal e interdisciplinar do currículo escolar, que colabora para a educação moral. Para tanto, dentre outros reconhecidos caminhos, daremos enfoque à metodologia da resolução de conflitos e à estratégia de projetos.
  • Tomada da palavra e conquista do tempo livre: uma entrevista com Jacques Rancière

    Waks, Jonas Tabacof; Carvalho, José Sérgio Fonseca de; Valle, Lílian do; Greco, María Beatriz (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-12-06)
    Resumo Esta entrevista, concedida em fevereiro de 2021, explora os vínculos do pensamento de Jacques Rancière com a filosofia da educação. Inicialmente, o filósofo aborda aspectos de sua trajetória intelectual, sua relação com maio de 68 e suas pesquisas nos arquivos operários, que nutriram a elaboração de obras como A noite dos proletários e o levaram a romper com os pressupostos de Louis Althusser sobre as relações entre saber e política. Em seguida, Rancière analisa a recepção de O mestre ignorante , marcada, segundo ele, por leituras equivocadas que a identificam ora como uma obra sobre a história do pensamento pedagógico, ora como uma metodologia de ensino a ser aplicada. Ambas leituras ignoram a concepção de emancipação intelectual proposta por Joseph Jacotot e a visão do próprio Rancière acerca das relações entre teoria e prática. Na discussão sobre o artigo Escola, produção, igualdade , único de seus textos voltado prioritariamente ao que ele denomina forma-escola, o filósofo destaca a importância das diferentes noções de temporalidade com as quais trabalha e coloca em questão a capacidade que a escola teria, hoje, para promover igualdade e tempo livre ( skholé ), por ter se tornado a instituição finalizada por excelência, aproximando-se cada vez mais das lógicas da hierarquização e da desigualdade. Ao final, o diálogo envereda por uma reflexão sobre o presente: a ascensão da extrema-direita em países como o Brasil e os Estados Unidos da América, marcada por aquilo que Rancière denomina paixão pela desigualdade.
  • Variáveis que influenciaram o IDEB do ensino fundamental das redes públicas municipais paulistas em 2017

    Crozatti, Jaime (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-11-01)
    Resumo Considerando a contínua necessidade de melhorar a condição da educação brasileira e o momento da renovação da principal Lei de financiamento da educação nos municípios no ano de 2020, este artigo tem como objetivo identificar as variáveis do contexto educacional das redes do ensino fundamental dos municípios paulistas, as quais têm correlação significativa com o IDEB, do ano de 2017. Utiliza-se de 33 variáveis, dentre as indicadas pela literatura, as quais têm dados disponíveis em sites oficiais do governo e os analisa com o método dos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e o procedimento stepwise. A equação de regressão obtida no estudo mostra que o gasto médio por aluno com o pessoal próprio das redes municipais, o esforço docente, o abandono escolar bem como o índice de desenvolvimento da dimensão renda explicam, com significância estatística de 5%, mais de 66% do IDEB, do ano de 2017 das redes municipais no estado de São Paulo. Os resultados corroboram a literatura nacional e internacional para a figura do professor, sua remuneração e a gestão do processo escolar como os elementos-chave para o desenvolvimento da educação. O momento pede postura de melhores investimentos, com planejamento e execução coerentes no contexto social e econômico, específicos do desenvolvimento da atividade educacional, com atenção para os espaços escolares, os recursos financeiros e os profissionais que ali trabalham.
  • Prevenção ao consumo abusivo de drogas na escola: desafios e possibilidades para a atuação do educador

    Moreira, André; Vóvio, Claudia Lemos; Micheli, Denise De (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2015-03-01)
    O consumo de drogas é apontado como uma das principais preocupações da sociedade e a escola tem sido considerada um espaço privilegiado para o desenvolvimento da prevenção e a promoção da saúde. No entanto, pairam dúvidas e incertezas sobre o papel que a educação escolar pode assumir nesse tema e sobre as possibilidades das ações preventivas que professores devem empreender. Nesse sentido, este artigo apresenta resultados de uma pesquisa-ação realizada em duas escolas públicas da cidade de São Paulo, na qual se investigaram fatores que podem dificultar o desenvolvimento de ações preventivas na escola, bem como o que é possível e pertinente desenvolver nesse âmbito na visão dos participantes. Para tanto, foram utilizados diversos instrumentos de investigação, tais como grupos focais, encontros de formação e questionários. O estudo teve como sujeitos professores que atuam no ensino fundamental II. O exame de seus enunciados permitiu sistematizar fatores que dificultam a prevenção do uso de drogas na escola e elementos que podem subsidiar processos formativos desses profissionais. Revela ainda que alguns de seus posicionamentos e conhecimentos prévios encontram-se em consonância com os modelos preventivos considerados mais promissores, como o oferecimento de alternativas, a educação para saúde, a mudança no ambiente escolar e o treinamento de habilidades para a vida. Considerar tanto seus saberes e representações sociais quanto os fatores que interferem na implementação de ações educativas pode qualificar projetos e programas de prevenção ao consumo de drogas a ser desenvolvidos na escola.
  • As marcas de cor/raça no ensino médio e seus efeitos na educação superior brasileira

    Artes, Amélia; Unbehaum, Sandra (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-07-02)
    Resumo Nas últimas décadas, observa-se um crescimento da participação de estudantes negros no ensino superior no Brasil, apontando uma mudança no perfil étnico-racial. Esse novo cenário é resultado da pressão dos movimentos sociais negros com a conquista de diferentes políticas de inclusão por meio de cotas, iniciadas nos anos de 1990 e fortalecidas nos anos 2000. Apesar das iniciativas, a participação de negros em comparação com o total da população é ainda distante da desejada. Para compreender essa realidade, é necessário trazer à discussão informações quantitativas para caracterização do percurso dos jovens no ensino médio e das marcas das diferenciações das escolas frequentadas por brancos e negros. Para complementar as análises de pertença racial, faz-se necessário trazer outros marcadores sociais, como sexo e condição social. Trabalha-se assim com a interseccionalidade e a constituição de quatro grupos de análise: homens brancos, mulheres brancas, homens negros e mulheres negras. Como contribuição, este artigo apresenta dados disponibilizadas pelo IBGE, por meio dos Censos Demográficos de 2000 e 2010, como evidências das mudanças observadas nas instituições de ensino superior no Brasil quanto à diversidade étnico-racial. Esses dados dimensionam os desafios ainda presentes e que precisam ser enfrentados visando a uma educação de qualidade para todos.
  • Pensar arriscado: a relação entre filosofia e educação

    Hermann, Nadja (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2015-03-01)
    Este trabalho foi produzido no âmbito de uma sessão especial da Associação Nacional de Pós-graduação em Educação (ANPEd) a respeito das relações entre a filosofia, a história, a psicologia e a sociologia da educação. Discute, primeiramente, a relação de familiaridade da filosofia com a educação, apontando seu vínculo originário, iniciado no mundo grego, sob a rubrica de fundamentos da educação, para, então, explicitar um movimento de afastamento provocado pela cientificização da pedagogia. Com o avanço dos processos de modernização e o êxito do conhecimento científico, a área dos fundamentos sofreu os impactos da racionalidade científica, sendo os resultados cada vez mais incontestáveis e que destituem o saber metafísico. Tal impacto, contudo, não desautorizou a despedida da filosofia, mas provocou uma mudança conceitual e de seu papel na relação com a educação e a cultura. A área então assume uma posição mais humilde diante das ciências e de outras expressões simbólicas, dialogando e interpretando os paradoxos e as tensões geradas pelas nossas relações com o mundo. A partir dessa abordagem, o artigo encaminha duas sugestões para a relação entre filosofia e educação. A primeira, apoiada na hermenêutica de Hans-Georg Gadamer e na racionalidade transversal de Wolfgang Welsch, retoma a perspectiva dos novos diálogos científicos, chamados de interdisciplinaridade, como um modo de superar os limites da especialização e de atender a complexidade das questões educacionais. Na segunda sugestão, indica-se a posição de Hans Ulrich Gumbrecht a respeito da relevância das humanidades para desenvolver um pensamento arriscado, capaz de produzir complexidades nas análises que iluminem as questões educacionais.
  • O estado da arte em psicanálise e educação no Rio Grande do Sul (2000-2016)

    Gurski, Rose; Strzykalski, Stéphanie; Gomes, Paula Gus; Stumm, Eugênio Helyantus (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-12-14)
    Resumo Este estudo é parte de uma pesquisa de âmbito nacional realizada pelo Grupo de Trabalho (GT) “Psicanálise e Educação” da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia (ANPEPP). Em 2015 o GT produziu e divulgou um grande levantamento de dados de diferentes regiões do Brasil com o intuito de construir um retrato nacional do campo da psicanálise e educação. Tal esforço, que é fruto de outros movimentos semelhantes na área, propiciou uma fotografia das investigações, assim como das metodologias utilizadas pelos diferentes Núcleos e Laboratórios de pesquisas envolvidos com a temática nas diversas regiões do país. Buscando dar continuidade aos estudos mais expressivos acerca do tema supracitado, nossos objetivos são: traçar um panorama da produção acadêmica de psicanálise e educação no Rio Grande do Sul tomando como recorte o período de janeiro de 2000 a agosto de 2016; identificar e problematizar os principais eixos teóricos pesquisados no campo; organizar e potencializar articulações entre os diferentes pesquisadores da área. Para isso, utilizamo-nos do survey bibliográfico como estratégia metodológica no processo de elaboração do levantamento da produção acadêmica. Entendemos que seja relevante aprofundar a perfilação do campo da psicanálise e educação no Rio Grande do Sul, pois essa região esteve implicada em diferentes ondas de produção ao longo do tempo. Com os esforços realizados, almejamos propiciar uma maior sinergia de trabalho entre os pesquisadores do campo, compreender os rumos futuros da área, facilitar trocas entre as temáticas, pensar a ampliação do campo com mais densidade, retratar os caminhos metodológicos e alcançar uma melhoria da qualidade das pesquisas.
  • A produção acadêmica de mulheres professoras no campo do saber teológico: sujeição ou subjetivação ética?

    Furlin, Neiva (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-03-12)
    Resumo A presença da docência feminina no ensino superior é uma conquista recente que foi se consolidando em meio a desafios, sobretudo, nos campos de saberes que se estruturaram como lugares exclusivamente masculinos, como é o caso da teologia. Nesse lugar, as mulheres precisaram produzir estratégias políticas, por meio de práticas situadas, para se afirmarem sujeitos de saber, superando barreiras de gênero da ordem simbólica masculina. Nesse sentido, este trabalho busca analisar as práticas acadêmicas das docentes, especificamente, as de orientação de trabalhos acadêmicos e as de publicação, evidenciando quais os sentidos produzidos para o processo de subjetivação ética ou de agenciamento de si. O estudo é baseado em narrativas de quatorze docentes, que atuavam em três instituições católicas, cujos conteúdos são analisados a partir dos pressupostos teóricos do feminismo e dos estudos de gênero, na perspectiva pós-estruturalista, nas definições que envolvem as relações de poder e seus efeitos, e os processos de resistência e de subjetivação ética. Resultados apontam que a ação acadêmica das docentes produz um efeito de contramemória a um modelo de feminino da ordem simbólica masculina. Para isso, elas interagem com as dinâmicas de poder existentes, neutralizando os feitos de um saber globalizante, como estratégia política de subjetivação ou agenciamento ético de si.
  • Ética e corpo: a relação silenciada

    Hermann, Nadja (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-11-18)
    Resumo O texto, de caráter ensaístico, investiga as razões da negação ou do silêncio do corpo na ética, tendo como contextualização do problema a tradição platônica, cartesiana e cristã e sua interpretação do ser humano como um duplo corpo-alma, que prioriza a consciência de si e reafirma a fundamentação racional da ética. A partir do século XIX, sob o influxo das tendências filosóficas de aspiração à vida, tem início a revisão do entendimento do corpo. Na sequência, apresenta-se a tese de Shusterman de que a rejeição do corpo na ética se deve à força de sua ambiguidade fundamental e se analisam diferentes expressões dessa ambiguidade inscritas no modo como o corpo as experiencia. Uma visão unificada de corpo e mente, como propõem Espinosa e Damásio, reconhece que consciência e emoção não são separadas e que uma consideração do corpo é decisiva para o cuidado de si e para a atenção aos outros. Por fim, argumenta-se que a estética pode operar em favor do corpóreo na ética, em especial para a ética na educação, pelo trabalho das emoções e sentimentos, pois decisões éticas evocam de maneira consistente experiências intelectuais, mas também emocionais, cuja base é corpórea. A literatura, pela experiência estética que provoca, apresenta condições especiais para narrar a complexidade envolvida na vida ética e trabalhar emoções e sentimentos, como se observa na obra A morte de Virgílio , de Hermann Broch.
  • La constitución de un nuevo sujeto social indígena: pueblo guaraní, educación formal y capital intercultural

    Nuñez, Yamila Irupé (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-03-17)
    Resumen El ingreso de estudiantes guaraníes en Instituciones de Educación Superior (IES) es un fenómeno reciente tanto en Brasil como en Argentina. En tanto miembros de un grupo que ocupa una posición dominada del espacio social, los guaraníes tienen escasas posibilidades de acceder y permanecer en el sistema educativo superior. Su presencia física en estos espacios expone numerosos problemas relativos a las desiguales condiciones de acceso, permanencia y egreso que el sistema educativo formal presenta para las poblaciones indígenas, y posiblemente para otros miembros de los sectores más desheredados de cada país. La presente contribución, realizada en base a un intensivo trabajo de campo antropológico, apunta a profundizar el conocimiento de este fenómeno, las principales causas y procesos que contribuyen a darle forma, las diversas instituciones sobre cuyas esferas de influencia se ve atraído y las experiencias de los estudiantes guaraníes que lo protagonizan. Para ello, apelando a un estilo narrativo, introduciremos las trayectorias educativas de dos guaraníes, uno de la Provincia de Misiones (Argentina) y uno del Estado de Paraná (Brasil), a fin de transmitir algunos indicios de cómo experimentan los estudiantes guaraníes el tránsito por la educación formal de la sociedad dominante.
  • La práctica del silencio como una herramienta educativa: directrices para la educación basada en competencias

    Dulčić, Francisco José Lería (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-03-22)
    Resumen Las características de los entornos educativos contemporáneos, abundantes en actividades y uso excesivo de las tecnologías digitales, alertan a la necesidad de proveer al estudiante de una experiencia de equilibrio psicofísico al interior del aula. Esto ha despertado el interés de los y las docentes por el silencio como un acto educativo crucial para un proceso formativo menos saturado de información y más harmónico en naturaleza. Así, el presente artículo revisa literatura científica sobre el concepto de silencio como un potenciador de la neurofisiología, por ejemplo, la neurogénesis y estado basal del cerebro; pero también el desarrollo psicosocial, las habilidades auto regulativas atencionales y la calidad del procesamiento del lenguaje, sugiriendo así que su práctica posee las condiciones necesarias para ser considerada como una herramienta pedagógica, tarea a la cual este artículo está dedicado. Se expone una breve revisión de la orientación contemplativa en la enseñanza y el aprendizaje, como aquel enfoque teórico y práctico interesado en el silencio como una estrategia de uso y alcance pedagógico, potenciadora del crecimiento psicológico y la transformación social, a través del desarrollo de la conciencia y la promoción del comportamiento ético-relacional. Se describen algunas implicaciones para la educación basada en competencias y la articulación de su práctica con el desarrollo de las competencias procedimentales. Finalmente, algunas limitaciones son abordadas para generar conciencia sobre el mejor camino para la promoción del silencio y sus beneficios para los entornos educativos.
  • Crianças e seus diagnósticos no cenário da educação inclusiva: a perspectiva de mães e professoras

    Silva, Lia Spadini da; Szymanski, Luciana (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-12-18)
    Resumo O presente artigo discute uma pesquisa cujo objetivo foi o de compreender os sentidos do diagnóstico de estudantes para suas famílias e professoras, partindo da perspectiva fenomenológico existencial. A questão norteadora da investigação foi: como mães e professoras compreendem os diagnósticos atribuídos a seus filhos/alunos(as)? Houve também interesse no aprofundamento de um caso em que, a despeito de certa expectativa, o diagnóstico era ausente. O trabalho foi realizado em uma Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) na cidade de São Paulo, onde ocorreram observações participativas e encontros sistemáticos da pesquisadora e equipe escolar, caracterizando a pesquisa como participativa, interventiva e dialógica. Seu foco foi a compreensão de narrativas dessas professoras e mães, tecidas a partir de entrevistas reflexivas e da noção de constelações. Revelou-se que o diagnóstico tem um papel importante para dar segurança às professoras e mães nas intervenções e ações cotidianas com crianças com necessidades educacionais especiais; por outro lado, a pesquisa trouxe à tona que diante do diagnóstico - entendido como a nomeação científica de uma existência - a narrativa sobre essa criança passa inevitavelmente por seu quadro nosológico, ao passo que aquelas que não receberam diagnóstico são apresentadas de modo complexo, a partir de muitas das suas características, inclusive dos seus potenciais.
  • Las actitudes del profesorado de educación primaria hacia la educación inclusiva en Ecuador

    Tárraga-Mínguez, Raúl; Vélez-Calvo, Ximena; Pastor-Cerezuela, Gemma; Fernández-Andrés, M. Inmaculada (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-11-13)
    Resumen Las actitudes de los docentes hacia la inclusión son un factor relevante para permitir que las políticas educativas inclusivas puedan materializarse verdaderamente en prácticas inclusivas. Estas actitudes se ven influenciadas por diferentes variables, entre las que se encuentran la formación y experiencia en el ámbito de la inclusión y las condiciones y recursos disponibles para llevar a cabo prácticas educativas. El objetivo del presente trabajo es analizar las actitudes hacia la inclusión educativa en una muestra de 66 docentes de 15 centros educativos de la ciudad de Cuenca (Ecuador), mediante una escala tipo Likert de 23 ítems. Los resultados muestran que los docentes presentan actitudes ambiguas y poco decididas hacia la inclusión educativa. Los docentes de mayor edad y sin experiencia docente con estudiantes con necesidades educativas especiales (NEE) presentaron peores actitudes que los docentes de menor edad y con experiencia docente con estudiantes con NEE. Además, los docentes de los centros educativos privados presentaron mejores actitudes hacia la inclusión que los de los centros públicos. Estos resultados sugieren que es necesario realizar un mayor esfuerzo en la formación del profesorado en el ámbito de la inclusión, y que se debería dotar a los centros públicos de recursos más adecuados para facilitar las posibilidades de llevar a cabo prácticas educativas verdaderamente inclusivas.
  • Inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais no conservatório estadual de música: perspectiva dos professores

    Santos, Cínthia da Cruz; Carvalho, Beatriz Girão Enes; Lobato, Beatriz Cardoso (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-12-18)
    Resumo O presente estudo foi realizado em um Conservatório Estadual de Música de Minas Gerais, na cidade de Uberaba-MG, utilizando uma abordagem qualitativa. O objetivo foi identificar os desafios vivenciados pelos professores no ensino de música para alunos com necessidades educacionais especiais. Devido a uma demanda apresentada pela instituição acerca das problemáticas vivenciadas pelos professores na inclusão escolar no ensino da música, foram realizados cinco grupos focais com os professores, sendo os dados gravados em mídia digital, transcritos e analisados a partir da temática de análise e conteúdo. Dessa forma, obtivemos os resultados classificados em sete categorias: (1) alunos com condições clínicas; (2) organização das salas de aulas; (3) ser professor de aluno com necessidades educacionais especiais; (4) formação e capacitação dos professores; (5) metodologias das aulas de música; (6) inclusão – leis versus prática; e (7) apoio da família e colegas. Percebeu-se a necessidade de formação e especialização dos professores e a carência de apoios oferecidos pelo estado e pela instituição para a prática efetiva da inclusão. Sugerem-se assim novos estudos acerca da temática de formação dos profissionais acerca da inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais na educação musical, de forma que ampliem uma discussão cultural sobre a acessibilidade nesses espaços de formação musical.
  • Gramsci, educação e escola unitária

    Martins, Marcos Francisco (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2021-04-26)
    Resumo Este artigo é produto de pesquisa sobre fundamentos da educação e apresenta os resultados de investigações sobre as contribuições de Antonio Gramsci (1891-1937). Este texto dá sequência a outras publicações sobre aspectos específicos do legado do autor italiano, mas aqui sintetizando as formulações que produziu, especificamente, sobre educação e escola, com vistas a averiguar sua identidade teórico-metodológica. Na primeira parte do texto, encontram-se dados biográficos e as especificidades dos escritos de Gramsci, e em seguida, há a explicitação de sua concepção de ser humano, para melhor compreender a principal contribuição que deixou sobre o nível básico de ensino: a escola unitária, apresentada na parte final da estrutura textual. A metodologia empregada foi a da pesquisa bibliográfica, que se desenvolveu principalmente pela análise dos cadernos miscelâneos e especiais de Gramsci, particularmente o 1 e o 4, e o 12 e o 22, porque são nesses escritos da maturidade que o comunista italiano mais detidamente tratou de educação e de escola. Além dos “cadernos do cárcere” e de cartas de Gramsci, textos de destacados comentadores também foram averiguados, com o objetivo de bem detectar a concepção do autor em questão sobre a escola básica. A conclusão é que as formulações sobre educação e escola apresentadas são expressões atualizadas do legado do marxismo originário e, portanto, não podem ser confundidas com concepções liberais, que implicaram propostas educacionais estranhas à escola unitária.
  • A alfabetização científica nos anos iniciais: os indicadores evidenciados por meio de uma sequência didática

    Silva, Virginia Roters da; Lorenzetti, Leonir (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-11-11)
    Resumo O artigo analisa as contribuições de uma sequência didática acerca da água na promoção da alfabetização científica nos anos iniciais. Uma pesquisa de intervenção pedagógica foi desenvolvida com 24 alunos do ensino fundamental I de uma escola pública de Araucária/PR, durante o segundo semestre de 2016, a qual envolveu a implementação de uma sequência didática com base nos três momentos pedagógicos e a elaboração de mapas conceituais. Uma entrevista semiestruturada foi realizada com os alunos, utilizando os mapas conceituais construídos como base, para que pudessem explicitar os conhecimentos adquiridos durante a sequência didática, subsidiando a análise da presença de indicadores de alfabetização científica. Os resultados apontaram que a implementação da sequência didática concretizou as habilidades necessárias para ser alfabetizado cientificamente, de modo a evidenciar que a escola tem o importante papel de possibilitar o acesso ao conhecimento científico, sendo fundamental que proporcione um processo formativo desde a tenra idade, visando a formar cidadãos críticos e conscientes, que compreendam a linguagem científica e saibam utilizá-la mais ativamente na sociedade. Constatamos que a sequência didática desenvolveu habilidades necessárias para a promoção da alfabetização científica na medida em que propiciou aos alunos a vivência de situações em que eles tiveram de se posicionar, ao colocar em xeque suas concepções prévias acerca das temáticas estudadas, demonstraram a apropriação de diversos conceitos científicos, evidenciando a construção do conhecimento. Para que o aluno se torne um cidadão crítico, consciente perante a sociedade e que assuma uma posição frente a processos e inovações que o afetam diariamente, fazem-se necessárias novas ações e recursos didáticos que auxiliem no incremento da alfabetização científica.
  • Currículo e espaço – uma conversa por se fazer?

    Rocha,Ana Angelita; Medeiros,Ricardo Scofano (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-01-01)
    Resumo As páginas a seguir ensaiam uma cartografia (múltipla, nas inspirações de Doreen Massey (2004) e Deleuze; Guattari (2011)) propondo traçar possíveis associações entre currículo e espaço. A intenção deste artigo é especular que, ao campo curricular, importa o ato de espacializar a relação entre currículo e conhecimento. Tal objetivo implica um projeto de interrogar um pretenso conhecimento universal, sem que, necessariamente, a categoria conhecimento seja desprezada como um todo. Por esse motivo, a argumentação, a partir de teóricos do currículo e da geografia, permite perceber um encontro entre a epistemologia, a ontologia e o espaço. Contudo, nossa hipótese é a de que o campo curricular pouco se dedica ao debate espacial, ainda que seja uma categoria analítica emergente nos seus estudos. Embora haja uma leitura de teóricos do espaço, suspeitamos que tenham sido conversas interditadas. Não obstante, nossa leitura permite vislumbrar uma convergência que parece indicar o espaço como uma categoria ontológica do currículo. Tais movimentos foram disparados por uma pergunta que guia o texto em seus desdobramentos: o que pode a composição currículo e espaço?
  • Desenvolvimento de competências na perspectiva de docentes de ensino superior: estudo em representações sociais

    Polonia,Ana da Costa; Santos,Maria de Fátima Souza (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-01-01)
    Resumo O propósito desta pesquisa é identificar o desenvolvimento de competências acadêmicas no ensino superior, na perspectiva dos docentes, contando com o aporte da teoria das representações sociais. Para coleta de informações foi aplicado o instrumento denominado de Técnica de Associação Livre de Palavras, de caráter projetivo, a 154 professores de ensino superior de três instituições privadas do Distrito Federal. A análise prototípica foi produto do software IRaMuteQ, que analisou as palavras evocadas pelos professores quando empregada a expressão indutora desenvolver competências acadêmica é... O núcleo central foi composto pelas seguintes palavras: formação, habilidade, reflexão, fundamental, responsabilidade e desenvolvimento. Já nos elementos de contraste emergiram os termos cientificidade, ética, autonomia, concentrar, qualificação e planejamento. Esses dados apontam o fomento ao processo de aprendizagem embasado na concepção ativa e interativa do processo, tendo o discente como protagonista. Os dados evidenciam a construção de conhecimentos, apropriação de diferentes saberes, mobilização do fazer e ainda a articulação teórico-prática dentro de uma perspectiva humanizadora, ética e estética. Ainda, pode-se reconhecer que o desenvolvimento de competências não se restringe à dimensão operatória, mas envolve os universos tecnológico, metodológico, didático, relacional e vinculado à esfera do trabalho, além de serem indissociáveis os aspectos social, cultural e do fazer profissional. É um projeto profissional docente que assume uma visão de sociedade, em que o processo ético e a dimensão política, metodológica, operacional, técnica se interpenetram e encontram-se transversalizadas pela perspectiva humanista, de forma que compromisso, responsabilidade e reflexão são demandas constantes frente às transformações no mundo do trabalho e problemáticas do âmbito social.
  • Prevenção da indisciplina num agrupamento de escolas de Portugal

    Santos,José Sousa; Pascoinho,João Carlos (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-01-01)
    Resumo A indisciplina revela-se um conceito de difícil definição que surge invariavelmente associado ao contexto escolar. A definição de indisciplina assenta numa oposição clara ao conceito de disciplina e assume-se como uma quebra da ordem, de regras e de normas, prejudicando a prossecução e/ou alcance de um objetivo. Este estudo destina-se a analisar o fenômeno supracitado num agrupamento de escolas, nomeadamente ao nível do segundo ciclo, e verificar a adequação das medidas tomadas no combate à indisciplina. Recorreu-se a uma abordagem qualitativa, em que se pretendeu caracterizar a indisciplina no agrupamento de escolas em estudo, analisando os dados recolhidos através de um método interpretativo-qualitativo. Por meio dessa análise concluiu-se que, apesar de o agrupamento enveredar por combater o fenômeno de forma coerente com a legislação em vigor e implementar esforços para a sua erradicação, a indisciplina continua a persistir, devido a fatores internos e externos.
  • A pesquisa em ciências humanas, ciências sociais e educação: questões éticas suscitadas pela regulamentação brasileira

    Campos,Regina Helena de Freitas (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020-01-01)
    Resumo As diretrizes que regulam a ética na pesquisa com seres humanos no Brasil, em especial no que se refere às áreas das ciências humanas e sociais e às ciências da educação, são analisadas em suas relações com a bioética e as ciências da vida. As dificuldades levantadas por pesquisadores da área de humanas no diálogo com os comitês de ética interdisciplinares são consideradas, inclusive a possibilidade de desvincular a autorização da pesquisa nessas áreas do sistema CEPs-CONEP, sistema nacional de Comitês de Ética na Pesquisa gerido pelo Conselho Nacional de Saúde. Argumenta-se, contudo, que o foco principal do sistema da ética na pesquisa é a proteção da saúde física e mental dos participantes, o que configura uma questão afeita à bioética e à área da saúde, de maneira ampla, como processo biopsicossocial. Observa-se também que as técnicas de coleta de dados desenvolvidas pelas ciências humanas e sociais (entrevistas, questionários, observações participantes ou não) são também utilizadas pelas ciências da vida. Essas considerações indicam que o diálogo entre as áreas, propiciado pela composição de Comitês de Ética interdisciplinares, é salutar e necessário ao bom funcionamento do sistema, em que pese a possibilidade, admitida na legislação, da existência de comitês específicos para o julgamento da ética na pesquisa em ciências humanas e sociais. Propõe-se que novas pesquisas sejam feitas para o acompanhamento do funcionamento dos comitês de ética em universidades e instituições de pesquisa visando ao aprimoramento do sistema de regulação.

View more