Educação e Pesquisa [Education and Research] is a journal published by the Faculdade de Educação at the Universidade de São Paulo — FEUSP (School of Education at the University of São Paulo, founded in 1969). As of 2018, it is edited continuously in single annual volume. Published since 1975, the journal welcomes articles in Portuguese, Spanish, and English, with abstracts in the original language and also in English. The journal publishes original articles and research reports in education, as well as book reviews, special documents, and translations made by teachers and researchers from the University, and also from other institutions. Former Title: Revista da Faculdade de Educação

News

The Globethics.net library contains articles of Educação e Pesquisa as of vol. 25(1999) to current.

Recent Submissions

  • O paralelismo corpo-mente em Spinoza: notações (im)pertinentes para a educação

    Yonezawa,Fernando; Silva,Fabio Hebert da (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018-01-01)
    Resumo Este trabalho objetiva extrair da teoria do paralelismo entre corpo e mente existente na filosofia spinozana algumas notas reflexivas e críticas para o campo da educação. Para tanto, a metodologia baseia-se em estudos conceituais focados nas partes II e III da obra Ética. Realizando um mapeamento de seis concepções que formariam o paralelismo psicofísico, este texto circunscreve críticas ao paradigma educacional dominante, bem como levanta algumas possibilidades de transformação. Trazendo, por exemplo, as concepções de que o objeto das ideias da mente são primeiramente as afecções do corpo e de que, ainda assim, o paralelismo preserva a autonomia entre os atributos pensamento e extensão, pretende-se aqui traçar a notação crítica de que um processo educacional só pode ser potente quando considera com igual importância a força do intelecto e a força da sensibilidade corporal. Deste modo, descobrir-se-á que as aprendizagens não mais se direcionarão no sentido de privilegiar ideias abstratas em detrimento do corpo, mas constituirão estudos voltados também aos afetos. Por fim, concluir-se-á que uma pedagogia capaz de compreender o paralelismo entre corpo e pensamento irá considerar a força de potencialização mútua existente entre os dois atributos, de maneira a conceber a alegria e a ampliação de realidades como seus intentos maiores.
  • Experiência e linguagem em Walter Benjamin

    Pires,Eloiza Gurgel (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2014-09-01)
    Este artigo apresenta uma reflexão a respeito da teoria da linguagem benjaminiana. Walter Benjamin, filósofo e crítico literário alemão, nas primeiras décadas do século XX, produziu um estudo decisivo no qual a linguagem não pode ser considerada como mero instrumento de elaboração dos dados da realidade nem como simples abstração, mas é pensada como campo no qual emerge uma intrincada rede de relações entre conhecimento e experiência. Para o filósofo, a linguagem é o médium espiritual e histórico da experiência. O conceito de Erfahrung (experiência) atravessa toda a sua obra: desde um texto de juventude, escrito em 1913, intitulado Erfahrung (1933), em que o autor contesta o desinteresse dos entusiasmos juvenis em nome da experiência dos adultos, às teses de 1940. Esse conceito está intrinsecamente relacionado, em seus escritos, ao pensamento de que todas as manifestações e expressões humanas podem ser concebidas como linguagem e, essa, por sua vez, é então pensada na sua dimensão simbólica, ao contrário do que pretendiam os filósofos do esclarecimento quando apontavam, como condição para o verdadeiro conhecimento, uma racionalidade que separava o imaginário do pensamento. Na contramão do pensamento iluminista científico, o paradigma estético é fundamental nos escritos benjaminianos. A partir do acolhimento do conceito na imagem, evidenciam-se novas formas de conhecer. Nessa perspectiva, tentaremos discutir o pensamento de Benjamin mostrando as articulações e rupturas engendradas com as problematizações constituídas a partir das conexões existentes entre linguagem e experiência e sua relação com o campo educativo.
  • A distinção entre conhecer e pensar em Hannah Arendt e sua relevância para a educação

    Almeida,Vanessa Sievers de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2010-12-01)
    A educação, preocupada principalmente com a aquisição de competências e/ou a transmissão de conhecimentos, tem dado pouca atenção para a compreensão do mundo - isto é, um modo de pensar que não tem como objetivo primeiro a resolução de problemas. Para entender melhor a relevância dessa questão, recorremos à distinção que Hannah Arendt traça entre o pensar e o conhecer. A abordagem da autora sobre essas atividades do espírito foi desencadeada pelo processo de Eichmann em Jerusalém. Na ocasião, ela observa que o réu foi capaz de coordenar a deportação dos judeus para os campos de concentração, mas era incapaz de refletir sobre o significado de seus atos. Depois, em sua obra A vida do espírito, ela veio a constatar que conhecimento e pensamento são duas faculdades distintas. O conhecer diz respeito à busca da verdade. Os conhecimentos possuem uma validade geral e uma utilidade. A atividade cognitiva, no entanto, mostra-se limitada por ser incapaz de atribuir um significado à nossa relação com o mundo. A busca de sentido é específica do pensamento, a reflexão sobre as experiências, cujos "resultados", porém, são "fugidios" e, muitas vezes, julgados inúteis. Este artigo, contudo, sustenta que o pensar, enquanto busca de sentido, é essencial para uma educação que, além de possibilitar um saber e um saber fazer, pretende contribuir para que os jovens estabeleçam uma relação de sentido e de pertença com o mundo humano.
  • Educação e liberdade em Hannah Arendt

    Almeida,Vanessa Sievers de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2008-12-01)
    O presente artigo investiga, numa perspectiva filosófica, a relação entre os conceitos de educação e liberdade nos escritos de Hannah Arendt. Sustenta-se que, embora a autora não aponte para isso, existe em seu pensamento uma relação essencial entre esses conceitos. A interface principal é a natalidade, o fato de seres novos nascerem para um mundo já constituído. Dessa condição existencial decorre, por um lado, a potencial liberdade do ser humano, a capacidade de iniciar algo inesperado e, por outro, a necessidade de acolher os novos num espaço comum que é mais velho do que eles. A tarefa da educação é contribuir para que os "recém-chegados" se apropriem desse mundo que lhes é legado, possibilitando assim que futuramente assumam a responsabilidade por ele. Isso, no entanto, implica na necessidade de arrumar esse lugar, que está "fora dos eixos". A ação educativa nesse sentido, porém, pode ser apenas indireta: sendo que todo ser humano nasce como alguém singular, diferente de qualquer outro, cada um é uma novidade para o mundo e, por isso, é, a princípio, capaz de transformá-lo, começando algo novo. A liberdade, portanto, depende da singularidade de cada pessoa. A educação - que não muda o mundo numa ação direta - pode propiciar às crianças e aos jovens a possibilidade de desenvolver sua singularidade, contribuindo assim para que futuramente possam de fato realizar o dom da liberdade, renovando o mundo que herdaram.
  • Autoridade docente: repensar um conceito

    Moreira,Thiago Miranda dos Santos (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2016-12-01)
    Resumo Vivemos uma crise de autoridade no mundo moderno e seu impacto no âmbito educacional tem sido objeto de análises e críticas sob diferentes perspectivas. De acordo com Hannah Arendt, esse não é um fenômeno gerado na esfera da educação, não obstante, seu impacto nesse âmbito apareça aos olhos da autora como o sintoma mais evidente da profundidade e seriedade desta crise. Este trabalho tem por objetivo analisar o conceito de autoridade na obra de Hannah Arendt, propondo uma abordagem que busca romper com as perspectivas que veem a autoridade como um epifenômeno do poder. Desse modo, busca-se lançar um olhar sobre a autoridade como um elemento consubstancial à educação e não como um mero instrumento de poder, submissão e sujeição de indivíduos. Assim, num primeiro momento, será apresentada a perspectiva de Alain Renaut, filósofo francês que, em sua abordagem da autoridade, dialoga direta e criticamente com Arendt. Em seguida, será apresentada a origem do conceito sob a perspectiva de Hannah Arendt, bem como sua relação com a educação.
  • Religião, formação docente e socialização de gênero

    Knoblauch,Adriane (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2017-09-01)
    Resumo O presente artigo pretende discutir a interface entre religião, formação docente e socialização de gênero de um grupo de alunas que cursam pedagogia em uma instituição federal do sul do país. Os dados foram coletados por meio de questionários distribuídos entre 2012 e 2014 a um grupo de estudantes que ingressaram no curso em 2012, com o objetivo de traçar seu perfil socioeconômico, conhecer os motivos pela escolha do curso e perceber hábitos relativos à vivência religiosa. Em seguida, foram realizadas entrevistas em profundidade com cinco alunas consideradas religiosas e uma sem essa vivência. A análise, fundamentada no conceito de habitus, a partir de Pierre Bourdieu e de habitus híbrido e socialização, segundo Setton, apontou para três posicionamentos, sobretudo, no que se refere às questões relativas à produção de gênero, orientação e identidade sexual: a) naturalização das diferenças de gênero; b) mescla entre o reconhecimento da imposição social, mas com peso maior para questões biológicas; c) compreensão do gênero como construção social. Frente a agentes socializadores diversos e não complementares entre si, as normas de comportamento e condutas veiculadas pelas diferentes religiões têm um peso maior e definem o que pode ser incorporado durante a formação docente veiculada pelo curso e o que deve ser rechaçado, constituindo, assim, um habitus com disposições híbridas, ora seculares ora religiosas.
  • Identification and validation of coaching skill components among faculty members of universities

    Mohammadisadr,Mohammad; Siadat,Seyed Ali; Hoveida,Reza (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018-01-01)
    Abstract Human resource development is an important factor for improving organizations. Universities as educational organizations need high-quality human resources. In this sense, coaching can be introduced as a new approach for professional development in higher education. Faculty members of universities can act as coaches to help the students and colleagues develop and thrive. Coaches with high levels of skills can be very influential. Not all individuals in higher education capacities have the necessary skills to become coaches. Hence, coaching skills should be specified so as to select high-quality leaders. The aim of the present study was to identify and validate coaching skills at universities. The population of the study consisted of students of a medical sciences university in Isfahan and the University of Isfahan. Research methods were both qualitative and quantitative. For the qualitative part, participants who were experts in human resource development and education were chosen. For the quantitative assessment, participants were selected among faculty members at both universities. Results indicated that being a successful coach requires at least eight specific skills. These eight skills should serve as the basis for selecting coaches in higher education.
  • Dialogue, agency and experiential learning in international camps

    Baraldi,Claudio (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2012-06-01)
    Experiential learning may be conceived as a social communicative process that displays agency, which indicates autonomous construction of meanings during social process. This paper explores social conditions and cultural presuppositions of experiential learning, showing that it can be successfully enhanced through a form of dialogue which empowers participants' personal expression of ideas and emotions. The specific meanings of empowering dialogue are the promotion and fair distribution of active participation in interaction (equity), the display of sensitivity towards the interlocutors' interests and/or needs (empathy), and the treatment of disagreements and alternative perspectives as enrichments in communication. These meanings are explored through the analysis of transcriptions of videotaped interactions which were collected in four international residential camps for adolescents, coordinated by expert adults. First, the analysis of the data shows those adults' dialogic actions which work effectively in promoting experiential learning: appreciations, acknowledgement tokens, affective non-verbal behaviour, continuers, formulations, promotional questions, direct invitations and suggestions. Second, the analysis identifies the main obstacles for empowering dialogue, which are adults' negative assessments and assertions of hierarchical stances with adolescents. Some final considerations are drawn regarding the features of empowering dialogue that can empower experiential learning as agency in interactions.
  • Psicologia moral e educação: para além de crianças "boazinhas"

    Nucci Larry (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    As rápidas mudanças sociais têm pleiteado, nos EUA, o retorno do ensino de valores tradicionais por meio de programas de educação do caráter. Esses esforços visam fomentar virtudes que levam as crianças a se tornarem pessoas "boazinhas", educadas, respeitosas e que tratem os outros com justiça. Ainda que se concorde com esse propósito, dúvidas podem ser levantadas a respeito da suficiência dessa abordagem da socialização no que diz respeito ao desenvolvimento humano numa perspectiva moral crítica. Tal perspectiva é necessária para que uma pessoa possa avaliar, a partir de um ponto de vista moral, seus valores socialmente adquiridos. Na ausência de tal capacidade, não se pode evitar a reincidência da imoralidade entranhada no conjunto existente de normas sociais. Assim sendo, o autor discute pesquisas e teorias atuais sobre o desenvolvimento social infantil que oferecem uma base a partir da qual se possam construir programas educacionais para além da preparação das crianças com vistas ao enquadramento no status quo moral. Este trabalho indica que, em todas as fases do desenvolvimento, as concepções de moralidade são distintas daquelas oriundas de outros valores sociais e convenções não morais. Ao final, são oferecidas sugestões de como construir programas educacionais que levem em conta as complexas interações entre valores morais e não morais e que ultrapassem a mera doutrinação das crianças conforme os valores da sociedade, estimulando os alunos a empregarem seu conhecimento moral na avaliação de situações sociais e guiar seu comportamento a partir de um ponto de vista moral crítico.
  • Los sentimientos en el ámbito de la moral

    Sastre Vilarrasa Genoveva; Timón Herrero Mónica (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2003)
    El artículo tiene como objetivo el análisis de los modelos organizadores elaborados en la resolución de un conflicto interpersonal en el que una chica renuncia a la realización de un deseo propio, en benéfico de su compañero. La situación experimental está organizada de tal modo que los resultados permiten detectar y analizar con detalle distintas formas de articular las vertientes afectiva y moral implicadas en la resolución de una renuncia en la que las connotaciones de género desempeñan un papel importante. Se pidió a los sujetos que resolvieran el mismo conflicto desde tres perspectivas diferentes: Justicia, Felicidad y Ayuda . La muestra estuvo formada por tres grupos experimentales que diferían exclusivamente por la secuencia temporal con la que debían analizar el mismo problema desde la perspectiva de cada uno de los ámbitos morales anteriormente mencionados. El análisis comparativo de los resultados obtenidos permitió detectar las interacciones que tienen lugar en la construcción del razonamiento moral entre Justicia, Felicidad y Ayuda. Mientras que desde ciertos enfoques teóricos los sentimientos son considerados como elementos perturbadores del razonamiento moral, el enfoque de los modelos organizadores permitió constatar que la consideración previa de los aspectos emocionales de un conflicto puede repercutir positivamente en el análisis desde una perspectiva de justicia. Por otra parte, se detectaron diferencias de género no relacionadas ni con el nivel estructural ni con la orientación moral: La forma en que chicas y chicos invistieron de contenido el conflicto difería, así como la dinámica que establecían entre justicia y felicidad.
  • A "infância desamparada" no asilo agrícola de Santa Isabel: instrução rural e infantil (1880 - 1886)

    Schueler Alessandra Frota Martinez de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    O presente trabalho trata da criação da Associação Protetora da Infância Desamparada, na Província do Rio de Janeiro, nos anos 1880, e as suas propostas de promover a instrução primária e a educação agrícola destinadas às chamadas crianças pobres do Império. Para tanto, levou-se em consideração os debates sobre a difusão da instrução elementar, o trabalho e a reatualização das políticas de controle social. Estas políticas estiveram presentes entre as preocupações e os objetivos dos sócios fundadores e políticos do Império e sinalizaram para um projeto de educação asilar, no qual a economia agrícola surgia como base da construção nacional. Para compreender essas questões, o artigo detém-se na análise do Asylo Agrícola de Santa Isabel, criado pela Associação e inaugurado em 1886. Busca-se caracterizar: sua arquitetura, os espaços construídos e áreas externas; as crianças para lá enviadas, sua naturalidade, sexo e condição social; e o ensino ministrado, os saberes difundidos, disciplina de caráter religioso, recursos a prêmios como emulação e trabalho no campo. Conclui-se com a afirmação de que a tentativa de estabelecer uma política de educação moral e religiosa, aliada à instrução elementar e ao ensino voltado ao trabalho rural, com o intuito de conservação de uma mão-de-obra dependente nas fazendas agrícolas, consistiu nos fundamentos e objetivos principais da Associação Protetora da Infância Desamparada.
  • Nuevas perspectivas sobre el razonamiento moral

    Sastre Vilarrasa Genoveva; Moreno Marimon Montserrat (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    En los trabajos de Carol Gilligan aparece la ética del cuidad y la responsabilidad que tiene en cuenta los aspectos diferenciales y las necesidades particulares de las personas. Esta ética se contrapone a la de la justicia descrita por Kholberg, cuyas características son el principio de igualdad y la no consideración de las características específicas de cada ser humano. Ambas éticas parecen, sin embargo, complementarias. El trabajo que se presenta incluye ambos enfoques éticos, en una situación experimental en la cual se pide a sujetos de diferentes edades (desde los 6 años hasta los 21) que tomen decisiones que implican optar por uno u otro de estos dos enfoques o integrar ambos. El tratamiento de los datos se realiza analizando los modelos organizadores que aparecen, lo cual permite diferenciar los elementos de la situación que resultan más destacables para los sujetos de cada edad, el significado que atribuyen a cada uno de ellos, la forma como los organizan para conferir un sentido al conjunto y las implicaciones que hacen derivar de todo ello. El estudio de la evolución de los modelos organizadores en las diferentes edades muestra que la evolución de las concepciones éticas está lejos de ser lineal. Ello conduce a plantearnos el análisis de los procesos de construcción de la ética, mediante modelos teóricos que contemplen la complejidad y al abandono de modelos lineales incapaces de describir los fenómenos observados.
  • Cognição, afetividade e moralidade

    Araújo Valéria Amorim Arantes de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    O presente trabalho fundamenta-se em algumas tendências atuais no campo da Psicologia Moral, que buscam compreender a natureza dos juízos e das ações morais, incorporando o papel da afetividade em tais processos. Para atender esse objetivo, são apresentados alguns trabalhos recentes bem como os dados relativos a uma investigação, na qual se buscou identificar e analisar as possíveis relações entre os estados emocionais, os raciocínios morais e a organização do pensamento dos sujeitos quando solicitados a resolverem conflitos de natureza moral. Dentre seus resultados, foi encontrada uma forte relação entre o estado emocional dos sujeitos e a forma como organizavam seu raciocínio. A partir das novas contribuições teóricas que vêm surgindo recentemente neste campo de estudos, discute-se a necessidade de se pesquisar como a educação moral pode ser pautada em parâmetros distintos daqueles relacionados ao desenvolvimento e à construção da capacidade racional da justiça. Sem negar a importância de tal construção, defende-se o princípio de que a educação deve preocupar-se também com a construção e organização da dimensão afetiva do psiquismo, buscando a formação de personalidades morais que integrem em seus juízos e suas ações, ao mesmo tempo, os interesses pessoais e coletivos.
  • Valores na escola

    Menin Maria Suzana De Stefano (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2002)
    Neste texto pretende-se discorrer sobre valores morais na escola e suas implicações para a formação de professores. Para tanto discutir-se-á, em primeiro lugar, e brevemente, o que são valores morais, ou éticos, e como a escola pode situar-se em relação a eles. Em seguida, serão relatadas algumas observações a respeito de valores de professores e práticas daí decorrentes. São comentados resultados de pesquisa que ilustram a transmissão de valores de forma doutrinal e a educação moral e cívica tal como realizada na ditadura militar, e, por outro lado, a posição relativista e/ou de laissez-faire que certas escolas podem adotar, metodologicamente, sobre a educação em valores. Finalmente, defender-se-á a idéia de que é necessária uma discussão sobre valores pelos diversos membros da escola e uma opção por uma metodologia para ensiná-los, seja os professores, em sua formação inicial e continuada, seja os alunos. A teoria de desenvolvimento moral de Jean Piaget será apresentada como uma referência possível para a educação em valores. Exemplos de situações escolares de conflito de valores entre direção, pais e alunos são discutidas para ilustrar como uma escola pode adotar um procedimento democrático de educação em valores, que se apresenta como um terceiro caminho possível de educação moral nas escolas, além das posições doutrinárias ou relativistas.
  • Escola, democracia e a construção de personalidades morais

    Araújo Ulisses F. (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    Este artigo propõe-se a discutir as relações entre moralidade, democracia e educação na perspectiva do pensamento complexo, apontando caminhos e propostas para sua efetiva implementação no cotidiano educacional, com a convicção de que esse é um imperativo das novas demandas sociais para a escola contemporânea. Entendendo que um dos objetivos da educação é o da formação ética, o autor propõe ações intencionais para que a escola propicie aos sujeitos da educação os instrumentos necessários à construção de suas competências cognitivas, afetivas, culturais e orgânicas, dando-lhes condições de agir moralmente no mundo. Nesse sentido, são identificados e discutidos sete aspectos da realidade escolar que impedem ou contribuem para a democratização da escola e que devem ser compreendidos a partir do paradigma da complexidade: os conteúdos escolares, a metodologia das aulas, a natureza das relações interpessoais, os valores, a auto-estima e o auto-conhecimento dos membros da comunidade escolar, assim como os processos de gestão escolar.
  • Para um estudo psicológico das virtudes morais

    La Taille Yves de (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2000)
    O propósito deste artigo é defender a importância de estudos psicológicos das virtudes morais (como generosidade, coragem, humildade, fidelidade etc.). Tal defesa é realizada de várias formas. Do ponto de vista filosófico, o tema das virtudes não somente é clássico (Ver Aristóteles, por exemplo) como tem sido rediscutido por autores contemporâneos descontentes com as limitações da ética moderna, em geral baseada no conceito de direito. Do ponto de vista psicológico, o autor defende a idéia segundo a qual as virtudes morais não somente participam da gênese da moralidade, como representam traços de caráter essenciais à coesão da personalidade moral. Tal perspectiva está, de certa forma, anunciada na obra de Piaget sobre o juízo moral, como em autores outros como Tugendhat. Ela está também presente nos estudos sobre a relação entre o sentimento de vergonha e a ética. Finalmente, aponta-se que, no que se refere à educação moral, as virtudes podem representar um tema rico e sugestivo para a reflexão das crianças e adolescentes.
  • Orientación Académica y Profesional: percepción del mercado de trabajo desde las Consejerías de Educación españolas

    Abad,David Doncel; Gago,Sonsoles San Román; Merchante,Carlos Vecina (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2019-01-01)
    Resumen La combinación de un mercado de trabajo poco solidario con los jóvenes y la implantación de un modelo de orientación académica y profesional cada vez más propenso a resaltar la dimensión vocacional dibuja un contexto que arroja importantes interrogantes sobre cómo se conectan uno y otro. En consecuencia, se estima importante conocer cómo se percibe la relación entre ambos factores en el proceso de orientación vocacional de los estudiantes en el sistema educativo español. Para alcanzar este fin general se han fijado los siguientes sub-objetivos: analizar la imagen que se otorga al mercado laboral según contexto socioeducativo; comprender cómo se percibe la función de orientación académica y profesional según contexto socioeducativo; y elaborar una tipología de modelos de orientación Académica y Profesional según contexto socioeducativo. La técnica aplicada ha consistido en la entrevista orientada de manera inducida. El estilo analítico adoptado se centra en los casos. Se hace hincapié en la exposición e interpretación de los relatos caso a caso, siguiendo una doble lógica: una de análisis comparativo dentro de cada perfil o within case analysis y otra de análisis cruzado de casos pertenecientes a distintos perfiles o cross-case analysis . Se aplica un modelo interpretativo fundamentado en el Método Comparativo Constante, pues permite descubrir conceptos y relaciones y organizarlos en esquemas teóricos explicativos. Los resultados alcanzados permiten conjeturar que existen tres percepciones del mercado de trabajo extraídas de la relación de éste con el sistema educativo según contexto socioeducativo, y que están influyendo en el proceso de Orientación Académica y Profesional.
  • Escolas, cidades e seus patrimônios: dinâmicas escolares de patrimonialização cultural

    Silva,Rodrigo Manoel Dias da (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018-01-01)
    Resumo Diversos estudos interdisciplinares que abordam as relações entre patrimônio e memória social têm demonstrado uma descentralização dos processos de patrimonialização cultural, cujo eixo estruturador desloca-se do Estado, enquanto ator privilegiado na seleção e conservação do que se convenciona como patrimônio, às comunidades e atores sociais, enquanto demandantes de políticas para o patrimônio e para a educação patrimonial. Nesse sentido, o contexto da redemocratização política no Brasil fez-se conjuntura favorável à redefinição do papel do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Iphan (anterior Sphan), evidenciando alterações nas correlações de força entre atores governamentais e agentes sociais, a partir das quais coletividades historicamente ausentes ou silenciadas encontraram novas condições políticas e revitalizaram experiências de luta por cidadania e justiça social. Considerando as transformações operadas em tais concepções de patrimônio e suas influências sobre as políticas e as práticas de educação patrimonial no país, o artigo visa, por um lado, problematizar as diversas dimensões que interferem hoje nos processos de patrimonialização cultural e, por outro, refletir sobre a condição da escola enquanto agente ativo nos processos de salvaguarda das memórias e das culturas locais e regionais. Conclui com a afirmativa de que a educação escolar, na atualidade, faz-se tensionada pelas novas configurações do campo do patrimônio e pelos dilemas de uma sociedade democrática, em detrimento das décadas anteriores, nas quais fora produzida pelos princípios da homogeneização e da unidade nacional.
  • Formação superior rizomática: flexibilidade curricular proposta pela UFABC

    Xavier,Allan Moreira; Steil,Leonardo José (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018-01-01)
    Resumo Ainda que o currículo do bacharelado em ciência e tecnologia (BC&T) da Universidade Federal do ABC (UFABC) apresente uma proposta flexível de formação superior, tal flexibilidade passa, quando de sua execução, por um conjunto de fatores limitadores cujo estabelecimento reaproximam a proposta de um currículo tradicional. Compreender como funcionam os agenciamentos nos quais está circunscrito o curso a partir da identificação de aspectos que o aproximam de um currículo rizomático, assim como das linhas de fuga molarizantes desse projeto formativo, resume o principal objetivo deste artigo. Para tanto, realizou-se um levantamento arqueológico dos discursos a partir de entrevistas semiestruturadas acerca da execução do projeto original e documentos oficiais, incluindo as revisões dos projetos pedagógicos do BC&T da UFABC, e normativas que regulam a execução do curso na universidade. A concomitância das trajetórias formativas entre os cursos de formação interdisciplinar e cursos de formação específica, a carga horária elevada em unidades curriculares de escolha dos alunos e a ausência de pré-requisitos permitiriam ao aluno singularizar sua formação, escapando à unidade curricular pretendida nas tradicionais grades curriculares. Tais possibilidades de compreensão rizomática desse currículo esbarram nas formações tradicionais dos docentes e nas opções de gestão tradicional do currículo, que empurram o projeto no sentido de uma formação tradicional e positivista.
  • Educação popular e ensino superior em Paulo Freire

    Beisiegel,Celso de Rui (Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2018-01-01)
    Resumo O artigo retoma e desenvolve reflexões a propósito de questões examinadas durante seminário internacional sobre a Educação Superior em Paulo Freire. Propõe o estudo do tema no âmbito de uma reflexão mais abrangente sobre as articulações da educação popular e do ensino das elites durante o longo período recoberto pela práxis do educador no Brasil e no exterior.

View more