• 25 anos do programa de pós-graduação em educação da UFPR

      Anjos,Liane dos; Bufrem,Leilah Santiago (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2003-12-01)
      Analisa os elementos que contribuíram para a concretização do que hoje se constitui o Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a partir da leitura e interpretação de documentos e depoimentos obtidos. Acompanha e analisa suas quatro fases: a inicial, de criação, que vai de 1975 a 1983; a segunda, de 1984 a 1991, a terceira, de 1992 a 1997 e a quarta fase, iniciada em 1998, concluindo que o PPGE se consolidou nesses quatro períodos, cujas características definiram-se pelas iniciativas, limitações e dificuldades que enfrentaram. Considera os resultados como referentes e desafiantes para o conhecimento e a crítica de um processo de consolidação, a partir do qual se deve exercitar a isenção e liberdade na mediação crítico-reflexiva sobre o valor dos atos e dos fatos revelados nessa trajetória.
    • 35 anos de educação bilíngue de surdos - e então?

      Svartholm,Kristina (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2014-01-01)
      Neste artigo, apresenta-se um panorama dos últimos 35 anos de educação bilíngue para surdos, na Suécia. Faz-se uma breve apresentação dos conceitos de "primeira língua/língua materna" e "segunda língua/língua estrangeira", utilizados neste contexto específico, para debater alguns dos principais pressupostos subjacentes ao ensino de primeira e segunda língua para crianças surdas. Discutimos os principais resultados da abordagem bilíngue, demonstrando o alto nível de conquistas, quando consideradas em uma perspectiva internacional. Esses resultados são comparados com dados do primeiro período de educação de surdos na Suécia, após a fundação da escola de Manilla em 1809. A base comum para estes exemplos de sucesso na educação de surdos pode ser resumida como uma atitude positiva em relação à língua de sinais e seus usuários. Em seguida, discutem-se algumas diferenças entre as línguas de sinais naturais versus a utilização simultânea de sinais e fala, quando o interlocutor surdo normalmente recebe informações linguísticas inconsistentes, fazendo com que esta prática seja menos adequada para o aprendiz da língua. Segue-se uma discussão de ensino de língua para crianças surdas, incluindo o ensino de uma terceira língua, como o Inglês, por exemplo. Observa-se que o grupo de usuários de língua de sinais está sofrendo uma grande mudança na atualidade, especialmente devido ao crescente número de crianças com implantes cloceares: enfatiza-se a necessidade do bilinguismo para este grupo, incluindo a língua de sinais.
    • “A Bandeira e a Cruz”: caminhos da trajetória intelectual da educadora Maria Junqueira Schmidt

      Orlando,Evelyn de Almeida (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2017-09-01)
      RESUMO Este artigo aborda a trajetória da intelectual e educadora católica Maria Junqueira Schmidt a partir do diálogo com Sirinelli e Bourdieu. O texto coloca em relevo não apenas as disputas e as tensões, mas também as alianças e as mediações em torno de projetos educacionais que vigoraram na sociedade brasileira entre os anos de 1920 e 1980. Isso nos instiga a pensar na presença feminina no campo educacional além das salas de aula do ensino primário. No caso da personagem estudada, sua trajetória nos deixa pistas de que sua construção como intelectual se deu por vários caminhos. Tendo transitado fluidamente entre a intelectualidade católica e laica, Maria Junqueira representou os interesses da Igreja em postos que ocupou junto ao Estado. Ao mesmo tempo esses espaços lhes serviram como dispositivos de empoderamento que referendavam cada vez mais sua atuação profissional como mulher e como representante de uma elite intelectual católica.
    • “A maior zoeira” na escola: experiências juvenis na periferia de São Paulo

      Oliveira,Rogério Cruz (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2017-12-01)
    • “A sorte sorriu para mim”: sorte ou estratégia de evitamento da escola pública ‘comum’?

      Cunha,Maria Amália Almeida; Alves,Maria Teresa Gonzaga (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2018-02-01)
      RESUMO Este artigo tem por objetivo investigar as razões de escolha por uma escola pública diferenciada para famílias que, por constrangimentos materiais, não poderiam escolher um estabelecimento de ensino privado para seus filhos. Situa a discussão no campo da relação família-escola, analisando as razões da escolha da escola pelas famílias investigadas, entre elas o evitamento da escola pública ‘comum’. Toma como unidade empírica de análise a escola de ensino fundamental vinculada à Universidade Federal de Minas Gerais (Centro Pedagógico-UFMG), cujo ingresso é possível apenas por meio de um sorteio de vagas aberto a qualquer interessado. As evidências empíricas sugerem que em um ambiente menos segregado, como a escola analisada, as disposições para a aprendizagem podem ser melhor potencializadas, revelando a pertinência de estudos que levem em consideração o contexto institucional conjugado às práticas educacionais na trajetória escolar do aluno, que na literatura tem sido abordado pelos estudos sobre ‘efeito-escola’.
    • “Combater a ignorância é defender a liberdade”: as relações entre a Associação Comercial do Rio de Janeiro e o Liceu de Artes e Ofícios no Império

      Martins,Mônica de Souza Nunes (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2018-02-01)
      RESUMO O artigo apresenta os interesses da Associação Comercial do Rio de Janeiro no estímulo e patrocínio à implementação do curso comercial pelo Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro. Analisando os aspectos que envolveram a afirmação da instrução pública ao longo do século XIX, o artigo transita por vários aspectos da sociedade e economia da segunda metade do século XIX que formavam um novo entendimento sobre a instrução pública, articulando-a aos interesses da produção de riqueza do país e, ao mesmo tempo, incentivando o ensino profissional como formador e moralizador da classe trabalhadora. Nesse sentido, o artigo discute alguns aspectos históricos que teriam contribuído para a defesa do ensino comercial, como aspecto da formação profissional dos trabalhadores do comércio, pela Associação Comercial do Rio de Janeiro no final dos oitocentos.
    • “Eu sou do interior... eu vim estudar em Porto Alegre” : memórias de experiências sensíveis em uma moradia estudantil (1974-1983)

      Almeida,Doris Bittencourt (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2018-10-01)
      RESUMO Inscrita no campo da História da Educação, o estudo investiga as memórias de cinco mulheres que, na condição de estudantes, habitaram a Casa Estudantil Universitária de Porto Alegre (CEUPA), entre 1974 e 1983. Por meio da metodologia da História Oral, busca-se conhecer quem são elas, as motivações para ingresso na Casa, bem como perceber possíveis marcas do período vivido na instituição em seus processos formativos. Entende-se a CEUPA como instituição educativa, isto é, um lugar que educa os jovens que lá estão, considerando as aprendizagens desenvolvidas que podem transcender os espaços formais de educação. É possível dizer que a presença feminina nesta moradia representa a expressão de luta das mulheres, em décadas pretéritas, para conquistarem outras inserções na sociedade brasileira, através do investimento no ensino superior. Essas narrativas que resistiram ao tempo indicam memórias que comovem, evidenciam percursos que, de certo modo, romperam com modelos femininos vigentes. Entre disputas e afetos, conseguiram ocupar, ainda que timidamente, posições de liderança na Casa. Em meio a cumplicidades, construíram estratégias que lhes permitiram o exercício de autonomia e de solidariedade no espaço de convivência estudantil. A pesquisa toma por inferência o entendimento do tempo que estiveram na residência estudantil como uma experiência sensível nas biografias das moradoras, que produz ressonâncias nos seus itinerários, tendo em vista que, para muitas, foi talvez a única possibilidade de permanência no ensino superior.
    • “Terminologia Musical” e “Origem do Fado”: cultura política e identidade nacional nos estudos musicológicos de Mário de Andrade, publicados na revista Illustração Musical (1930-1931)

      Monti,Ednardo Monteiro Gonzaga do (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2017-09-01)
      RESUMO O horizonte do presente artigo é as questões do Modernismo e sua vinculação com a cultura política, pela perspectiva da identidade nacional, nos estudos musicológicos “Terminologia Musical” e “Origem do Fado”, escritos por Mário de Andrade e publicados na revista Illustração Musical. Esse periódico é a principal fonte documental mobilizada neste trabalho. A revista, dirigida pelo maestro Oscar Lorenzo Fernândez, circulou entre músicos, educadores, frequentadores de teatros, salas de concerto, conservatórios e escolas de música do Brasil entre 1930 e 1931. A discussão aqui proposta indica que Andrade ressaltava a necessidade de uma terminologia musical originalmente nacional e reivindicava a brasilidade na origem do fado, porém, sem desvalorizar a produção e a aceitação portuguesas desse estilo musical. Percebe-se que a construção de uma terminologia musical nacional significava uma possível conexão do Movimento Modernista com a cultura política iniciada no Governo Vargas e, ao mesmo tempo, uma continuidade que contrapunha as ideias dos críticos que condenavam o Modernismo, considerando-o apenas um evento (Semana de Arte Moderna, que aconteceu na cidade de São Paulo, em fevereiro de 1922), com data específica e público glamoroso. Observa-se, também, que Andrade entendia o “achado da origem” do fado como parte do processo de consolidação da cultura nacionalista brasileira, capaz de captar recursos do Estado, visando à ampliação da arte nacionalista em expansão naquele período.
    • A abordagem instrumental para o estudo da integração da tecnologia na prática pedagógica do professor de matemática

      Bittar,Marilena (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2011-01-01)
      Neste texto discutimos uma forma de investigação sobre a apropriação da tecnologia pelo professor de matemática e seu uso em sua prática pedagógica. Apresentamos a abordagem instrumental que fornece elementos teóricos apropriados para esse estudo. Esta teoria apoia-se em conceitos da psicologia, em especial na ideia de esquema definida por Piaget e utilizada por Vergnaud, na teoria dos campos conceituais. Serão abordados somente alguns elementos da teoria, os que permitem compreender o uso de um software nas aulas de Matemática. É dada especial atenção ao conceito de gênese instrumental e, para isso, à distinção entre artefato e instrumento, e entre instrumentalização e instrumentação. A partir destes elementos e da distinção que fazemos entre inserir e integrar a tecnologia na prática pedagógica do professor de matemática são apresentados resultados de uma pesquisa-ação realizada com professores dessa disciplina.
    • A afetividade na relação professor-aluno e suas implicações na aprendizagem, em contexto universitário

      Veras,Renata da Silva; Ferreira,Sandra Patrícia Ataíde (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2010-12-01)
      O presente trabalho teve por objetivo investigar como a postura do professor, em sala de aula, tem implicações sobre a experiência de aprendizagem positiva de estudantes universitários, em uma turma do 1° período e outra do 3° período do curso de Graduação em Pedagogia, de uma universidade pública situada na cidade de Recife-PE. Para tanto, foram realizadas quatro observações em cada uma das turmas investigadas e entrevistas semiestruturadas com quatro professores e oito alunos, sendo quatro de cada turma. Foi realizada uma análise qualitativa e os dados foram sistematizados em dois temas, a saber: (i) Postura do professor em sala de aula e a experiência de aprendizagem do aluno; (ii) Aspectos positivos e negativos na relação afetiva entre professor-aluno em sala de aula. Os resultados apontaram que quando os professores e alunos contribuem para uma relação afetiva positiva, isso implica em uma experiência de aprendizagem favorável.
    • A alfabetização e a compreensão do sistema da escrita pela criança... e não pelo professor! Algumas reflexões

      Moro,Maria Lucia Faria (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 1989-12-01)
      O artigo tem como objetivo provocar a reflexão sobre os fundamentos psicopedagógicos do processo da alfabetização. Expõe à discussão algumas idéias sobre a aprendizagem e a ação pedagógica do professor segundo a teoria epistemológica de Piaget, e em sua relação com a proposta de Ferreiro sobre a psicogênese da escrita.
    • A alfabetização e o inventário de uma herança

      Lacerda,Mitsi Pinheiro de (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2015-03-01)
      O artigo indaga sobre a persistência do mecanicismo como regulador de práticas relacionadas à alfabetização, retomando as proposições pela prática investigativa. Primeiramente, é proposta a discussão acerca de orientações impressas ao pensamento, através do questionamento de uma herança: a perspectiva cartesiana. Uma breve passagem sobre as matrizes da ciência moderna sinaliza a tendência da alfabetização a ser reduzida à generalização e linearidade, discutindo como as ideias de aplicabilidade teórica e de universalização interferem na prática. A seguir, a partir da apresentação de alguns achados de pesquisa, a autora recorre à proposta da "alfabetização como prática de investigação permanente", ideia advinda de vários autores que defendem o conhecimento dos direcionamentos oferecidos à alfabetização, quando alimentada pela pesquisa. A conclusão aponta para o aproveitamento dos esforços intelectuais dos que se dedicam à alfabetização, no sentido de que sejam diluídas as fronteiras que fragmentam saberes de naturezas distintas e de que o ensino da escrita seja favorecido através de um mergulho epistemológico.
    • A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade

      Libâneo,José Carlos (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2004-12-01)
      Este trabalho avalia possibilidades teóricas de renovação das práticas de formação inicial e continuada de professores com base na concepção histórico-cultural da aprendizagem escolar, compreendendo o trabalho de professor efetivamente como atividade teórica e prática. Após constatação das demandas formativas postas ao desenvolvimento teórico da didática em face das exigências educacionais contemporâneas, são apontados elementos teóricos da concepção histórico-cultural e suas vertentes, com destaque à atividade de aprendizagem escolar. No final, são apresentadas as possibilidades de aplicação dessa teoria à formação de professores, numa tentativa de buscar um paradigma teoricamente mais ampliado de orientação das práticas de formação profissional de professores.
    • A arquitetura do tempo na cultura escolar: um estudo sobre os centros de educação integral de Curitiba

      Arco-Verde,Yvelise Freitas de Souza (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2003-12-01)
    • A arquitetura escolar como objeto de pesquisa em História da Educação

      Dórea,Célia Rosângela Dantas (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2013-09-01)
      Uma das ideias norteadoras desta pesquisa consiste em encarar a organização do espaço na escola como um dos movimentos que permitem recuperar a história dos estabelecimentos de ensino, possibilitando uma nova leitura dessa ambiência escolar, leitura em que se procura identificar os fatores - políticos, sociais, culturais e econômicos - que interferem na formulação e na execução das políticas educacionais que deram origem aos atuais espaços escolares. No rastro de uma trajetória acadêmica marcada pela intimidade com as questões relacionadas ao espaço escolar, discute-se o papel da organização do espaço na história da escola, destacando a atuação do educador Anísio Teixeira, em três momentos distintos, onde teve a oportunidade de implementar reformas e medidas educacionais que valorizavam o planejamento das edificações escolares: na Bahia (1924-1928), no Distrito Federal (Rio de Janeiro, 1931-1935) e como Secretário de Educação e Saúde do Estado da Bahia (1947-1951). Em síntese, eleger o espaço escolar como objeto de estudo configura-se como uma possibilidade de diálogo entre a Arquitetura e a Educação, ambas responsáveis pela organização e ocupação do espaço físico da escola, bem como com a sua utilização, além de tudo, como espaços educativos.
    • A arte de envolver o aluno na aprendizagem de ciências utilizando softwares educacionais

      Fialho,Neusa Nogueira; Matos,Elizete Lucia Moreira (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2010-01-01)
      Atualmente, uma grande maioria de softwares pode ser considerada educacional. Porém quais são os critérios para que um determinado software seja considerado educacional? Neste artigo discorreremos a respeito de uma pesquisa sobre softwares reconhecidamente educacionais e que, portanto, visam analisar sua aplicabilidade no processo pedagógico no ensino de ciências, mais especificamente da ciência Química. Os softwares desenvolvidos pelos professores utilizam temas do cotidiano e podem ser aplicados a alunos do Ensino Médio. Juntamente com os resultados da pesquisa apresentaremos argumentos que possam intensificar a preocupação na escolha criteriosa de um software, apontando-o como grande aliado pedagógico, relevante na metodologia e praxes do professor na arte de envolver o aluno, no constante e rico processo de ensino/aprendizagem.
    • A arte e a humanização do homem: afinal de contas, para que serve a arte?

      Trojan,Rose Meri (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 1996-12-01)
    • A avaliação em larga escala no Sistema Municipal de Ensino de Porto Alegre: aproximações e diferenças entre grupos implicados

      Ghisleni,Ana Cristina; Luce,Maria Beatriz (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 2018-04-01)
      RESUMO O artigo apresenta uma análise de aproximações e diferenças das percepções sobre a avaliação em larga escala encontradas no Sistema Municipal de Ensino de Porto Alegre. O texto apoia-se nas premissas de avaliação como construção e de recontextualização, bem como nos conceitos de globalização, reforma política, regulação e qualidade. Em termos metodológicos, foi feita a opção por um estudo de casos múltiplos que opera a vinculação das premissas e dos conceitos trabalhados com os principais elementos trazidos pelas entrevistas realizadas. Ao final, evidencia-se a avaliação em larga escala em uma posição de protagonismo, garantido principalmente pelo órgão executivo central do Sistema - a qual se reflete nos posicionamentos dos demais grupos entrevistados - e a eleva à condição de política estruturante da gestão e da prática pedagógica em geral.
    • A avaliação institucional no projeto da nova LDB

      Zanetti,Maria Aparecida; Bertolini,Marilene Amaral; Silva,Monica Ribeiro da (Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, 1995-12-01)