Show simple item record

dc.contributor.authorHübner,Luiz Carlos Moreira
dc.contributor.authorFranco,Túlio Batista
dc.date.accessioned2019-10-26T21:44:28Z
dc.date.available2019-10-26T21:44:28Z
dc.date.created2018-01-11 14:54
dc.date.issued2007-04-01
dc.identifieroai:scielo:S0103-73312007000100010
dc.identifierhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312007000100010
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/20.500.12424/1943989
dc.description.abstractEste texto foi construído a partir da narrativa dos atores sociais envolvidos na gestão do Programa Médico de Família (PMF) de Niterói, que vivencia, desde 1992, sua concepção de modelo centrado na Estratégia de Saúde da Família, através de um desenho metodológico próprio, que difere em alguns aspectos da proposta do Ministério da Saúde. Tem o objetivo de revelar os modos de produção do cuidado com base nos processos desenvolvidos pelo PMF. Estes se referem ao processo de trabalho que envolve a equipe de base e uma equipe de supervisores técnicos; às práticas assistenciais centradas na concepção da produção social da saúde, referenciada no campo teórico da vigilância à saúde; e à produção de novos sujeitos históricos, profissional médico e população, com base em práticas de educação permanente, realizadas no próprio ambiente de trabalho e orientadas para a práxis, associada a processos de subjetivação disparados a partir do contato direto no ambiente social da população adscrita às equipes. A literatura que discute modelos tecnoassistenciais em saúde tem-se dedicado em grande medida ao estudo do Programa de Saúde da Família (PSF). Quanto ao PMF que foi inspiração para o próprio PSF, há pouca produção disponibilizada àqueles que buscam outros referenciais para modelos que trabalhem com a diretriz da vinculação de clientela a equipes assistenciais. Vale registrar que PMF e PSF, embora tenham inspiração na mesma matriz teórica da vigilância à saúde, na clínica do médico generalista e na diretriz central do vínculo, são na sua constituição e funcionamento diferentes, o que justifica estudos específicos de ambos os programas, ou estratégias de mudança do modo de produzir saúde.
dc.format.mediumtext/html
dc.languagept
dc.language.isopor
dc.publisherIMS-UERJ
dc.relation.ispartof10.1590/S0103-73312007000100010
dc.rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess
dc.sourcePhysis: Revista de Saúde Coletiva v.17 n.1 2007
dc.subjectPolítica de saúde
dc.subjectdescentralização
dc.subjectsaúde da família
dc.titleO programa médico de família de Niterói como estratégia de implementação de um modelo de atenção que contemple os princípios e diretrizes do SUS
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/article
ge.collectioncodeOAIDATA
ge.dataimportlabelOAI metadata object
ge.identifier.legacyglobethics:12411532
ge.identifier.permalinkhttps://www.globethics.net/gel/12411532
ge.lastmodificationdate2018-01-11 14:54
ge.lastmodificationuseradmin@pointsoftware.ch (import)
ge.submissions0
ge.oai.exportid149512
ge.oai.repositoryid1796
ge.oai.setnamePhysis: Revista de Saúde Coletiva
ge.oai.setspec0103-7331
ge.oai.streamid2
ge.setnameGlobeEthicsLib
ge.setspecglobeethicslib
ge.linkhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312007000100010


This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record