• A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação

      Witter,Geraldina Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • Entrevista com a Profª Maria Helena Novaes

      Witter,Geraldina Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • Psicologia escolar

      Nucci,Nely A. Guernelli (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • Interesses e dificuldades dos pais na alfabetização dos filhos

      Di Nucci,Eliane Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
      participação na alfabetização de seus filhos foi o principal objetivo deste estudo. Foram sujeitos desta pesquisa 25 mães de crianças em pré-escola e 1ª série de uma escola particular. Foi utilizado um questionário com duas perguntas sobre os interesses e as dificuldades dos sujeitos e sobre a disponibilidade de tempo neste contexto. Os resultados mostraram que os sujeitos parecem estar dispostos a participar mais efetivamente desse processo em casa e em parceria com a escola. Os interesses parecem estar voltados à evolução da escrita na criança e aos métodos de alfabetização. As dificuldades apareceram em relação às condutas diante da aprendizagem da criança.
    • Contribuições da neuropsicologia para a psicologia clínica e a educação

      Moretti,Lúcia Helena Tiosso; Martins,João Batista (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
      O objetivo foi estudar alguns aspectos da avaliação neuropsicológica e testes tradicionais aplicados individualmente a 12 sujeitos (8 a 13 anos). A análise qualitativa mostrou aspectos problemáticos na avaliação tradicional.
    • O significado de uma vida: a história e o presente na Psicologia de São Paulo

      Guzzo,Raquel Souza Lobo (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • O direito de ler

      Witter,Geraldina Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • Estratégias para desenvolver a metacognição e a compreensão de textos teóricos na Universidade

      Filho,Henrique Kopcke (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
      Pesquisas acerca da qualidade da leitura nos cursos superiores têm destacado a distância que separa ciência e prática, professores e pesquisadores. Com o intuito de aproximar teoria científica e prática pedagógica, vêm descritas, neste trabalho, três estratégias metacognitivas, como sugestão para programas de leitura referentes ao desenvolvimento da metacognição com vistas à compreensão de textos teóricos na universidade.
    • Universitário, redação e SPI

      Arouca,Eliana de Azevedo (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
      Como a comunicação escrita de estudantes de Comunicação tem merecido pouca atenção dos pesquisadores, objetivou-se testar a eficiência de um material programado com base no Sistema Personalizado de Ensino sobre linguagem escrita para universitários do segundo ano de Comunicação Social, enfatizando o ensinoaprendizagem do texto dissertativo acadêmico. Os resultados evidenciaram progresso qualitativo para a maioria dos sujeitos, o que permite inferir que a estrutura do material aplicado foi favorável aos sujeitos, entretanto o tempo de aplicação (10 dias) revelou-se insuficiente para uma mudança na utilização de técnicas aplicáveis a redações dissertativas e para que fossem supridas deficiências dos graus antecessores. Sugeremse cursos de remediação de leitura e de escrita.
    • Aventuras num rápido avanço

      Benezik,Edyleine Bellini Peroni (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1997-01-01)
    • Setor de Psicologia Escolar da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto - USP: primórdios e funcionamento até 1994

      Machado,Vera Lúcia Sobral (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
    • Avaliação multidimensional da criatividade: uma realidade necessária

      Wechsler,Solange Muglia (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      A avaliação da criatividade até o momento, tem sido pautada, quase que exclusivamente, em medidas de pensamento divergente tentando-se encontrar uma forma única para a sua identificação. Nosso objetivo é demonstrar a necessidade de se avaliar a criatividade sob os mais diversos enfoques, situando a sua expressão dentro de campos específicos da sua aplicação. Uma bateria para avaliação multidimensional da criatividade é apresentada, sendo composta por dois testes internacionais. Pensando Criativamente com Figuras e Pensando Criativamente com Palavras e dois testes nacionais, de nossa autoria, Estilos de Pensar e Criar e Adjetivos Auto-descritores. O processo de validação destes instrumentos encontra-se descrito demonstrando assim a possibilidade de medir algumas das interações entre a pessoa, processo e o ambiente criativo. Concluindo, é demonstrada a importância de se buscar, cada vez mais, instrumental que atenda os parâmetros científicos da psicometria e que permita uma abordagem mais ampla, completa e multifacetada na avaliação da criatividade.
    • Teste de inteligência WISC-III adaptando para a população brasileira

      Figueiredo,Vera L. M.; Pinheiro,Sílvia; Nascimento,Elizabeth do (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      O presente artigo tem por objetivo mostrar alguns resultados encontrados até o momento, na pesquisa de adaptação do teste de inteligência WISC- III (Wechsler Intelligence Scale for ChildrenThird Edition). Os dados apresentados referem-se à aplicação do conjunto verbal do teste a uma amostra piloto de 116 crianças com idades entre 6 e 16 anos, matriculadas na rede de escolas públicas e privadas da cidade do Rio Grande (RS). Os resultados evidenciaram índices de validade e consistência interna do conjunto verbal do teste. Observou-se a relevância da idade, da repetência e do local da escola devendo estas variáveis serem controladas na pesquisa de adaptação. Há necessidade de alteração de alguns itens, principalmente nos subtestes Informação e Vocabulário.
    • A pessoa inteligente no mundo social

      Carneiro,Eliane Gerk; Ziviani,Cilio Rosa (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      O conceito de "inteligência" é revisado e cotejado com a noção de "inteligência social". Os contornos teóricos da pessoa inteligente são demarcados com o objetivo de se estabelecer fronteiras definidas pela relação interpessoal mediada por critérios intersubjetivamente válidos. A pessoa inteligente bem sucedida é discutida, especialmente em seus aspectos sociais. Pesquisas no âmbito da inteligência social com origem em modelos conceituais da Psicologia Social são apresentadas, especialmente os estudos centralizados na competência social e os que procuram centralizar a investigação na forma e na precisão do julgamento do outro. Três estudos empíricos de natureza psicométrica são relatados, o primeiro sobre a definição de inteligência social, o segundo constituindo-se na adaptação de um teste de insight social à realidade brasileira e o terceiro sobre a avaliação da inteligência interpessoal em crianças. Finalmente, discute-se os textos mais recentes da obra de Robert J. Stemberg, especificamente os aspectos da aplicabilidade de sua teoria da inteligência bem sucedida às práticas visando a promoção cognitiva.
    • Colaboração entre pais e escola: educação abrangente

      Cavalcante,Roseli Schultz Chiovitti (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      A colaboração entre pais e escola é uma área que requer atenção por parte dos educadores. Pesquisas demonstram que alunos, escolas e pais se beneficiam deste tipo de colaboração. Este artigo discute as barreiras à colaboração e oferece idéias para a implementação de parcerias entre famílias e escola. Também apresenta sugestões para o envolvimento do psicólogo escolar no processo colaborativo através do desenvolvimento e avaliação de programas e treinamento de professores.
    • Pensando criativamente na universidade

      Wechsler,Solange Muglia (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
    • Análisis Multirreferencial del fenômeno de la reprobación en estudiantes universitarios mexicanos

      Maldonado,Maria de la Luz Martínez; Lima,Javier Vivaldo; Padilha,Maria Goretti Navarro; Fuente,Maria Virginia González de la; Montes,José Antonio Jerónimo (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      O objetivo desta pesquisa foi analisar a influência de fatores associados ao fracasso escolar em disciplinas de alto índice de reprovação no ensino universitário, a partir de um enfoque multirreferencial que considerou os seguintes pontos: (I) fatores institucionais; (2) fatores sociais; (3) fatores individuais. A amostra esteve contituída por 438 alunos de cursos de licenciatura da FES Zaragoza, que freqüentavam as disciplinas de maior índice de reprovação da instituição. Os alunos submeteram-se a uma auto-avaliação quanto a fatores gerais associados à reprovação em nível universitário e a um inventário internacional de habilidades de estudo, e foi feita uma comparação diferencial entre o desempenho, em ambos, de alunos aprovados e reprovados. Os resultados permitiram detectar diferenças significativas, entre alunos aprovados e reprovados, em relação a indicadores específicos, entre os quais se destacam fatores do tipo emocional e aqueles associados à metodologia de ensino.
    • O desenho da figura humana é válido para avaliar ansiedade em crianças?

      BANDEIRA,DENISE RUSCHEL; Loguercio,Adriana; Caumo,Wolnei; Ferreira,Maria Beatriz Cardoso (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
      A ansiedade vem sendo avaliada de diferentes formas, entre elas através do Desenho da Figura Humana (DFH). A principal escala de avaliação do DFH foi idealizada por Handler, possuindo divergências quanto a sua validade entre os pesquisadores. Este trabalho tem por objetivo, então, avaliar a validade desta escala, comparando desenhos de crianças em situação pré-cirúrgica e desenhos realizados por crianças de um grupo controle. Os pontos obtidos nos desenhos também são comparados aos escores no Inventário de Ansiedade Traço-Estado para Crianças (IDA TE-C). Foram investigados desenhos de 106 crianças, de idades entre 7 e 13 anos, de ambos os sexos. Os resultados mostram haver diferenças significativas somente entre as escalas de ansiedade traço-estado entre os grupos controle e experimental. Os índices de ansiedade de Handler não evidenciaram diferença entre os dois grupos nem correlacionaram-se com as escalas do IDA TE-C, o que invalida tal escala para crianças da nossa população. Defende-se a criação de uma escala própria para crianças.
    • Trabalho em equipe

      Witter,Geraldina Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)
    • Entrevista com o Prof. Dr. Arrigo Leonardo Angelini

      Witter,Geraldina Porto (Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), 1998-01-01)