A Estudos Feministas é um periódico de publicação quadrimestral, indexado e interdisciplinar, de circulação nacional e internacional. A Revista Estudos Feministas aceita originais, em português e em espanhol, em forma de artigos, ensaios e resenhas, que podem ser tanto específicos a uma determinada disciplina quanto interdisciplinares em sua metodologia, teorização e bibliografia. Os textos publicados contribuem para o estudo das questões de gênero, sendo provenientes de diversas disciplinas: sociologia, antropologia, história, literatura, estudos culturais, ciência política, medicina, psicologia, teoria feminista, semiótica, demografia, comunicação, psicanálise, entre outras.

News

The Globethics.net library contains articles of Revista Estudos Feministas as of vol. 9(2001) to current.

Recent Submissions

  • Ignez é morta: reflexões acerca da clausura para as Irmãs clarissas (séculos XIII ao XVIII)

    Lage, Ana Cristina Pereira; Oliveira, Terezinha (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-09-06)
    Resumo: Pretendemos analisar alguns embates de gênero no interior da Igreja Católica para compreender a institucionalização da clausura feminina no século XIII. A ideia de morte para as coisas terrenas, quando as mulheres ingressavam nas clausuras e passavam à condição de religiosas clarissas, é debatida por meio de documentos do período moderno nos conventos de Portugal e da América Portuguesa. São verificadas ainda as representações discursivas acerca da clausura e a percepção de desvios claustrais que propiciavam mulheres com religiosidade diversa do instituído pela Igreja e pelas relações patriarcais.
  • A despatriarcalização de Deus na teologia feminista

    Candiotto, Jaci de Fátima Souza (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-11-22)
    Resumo: Neste artigo, analisamos a importância da linguagem para a compreensão do divino e de nós mesmas/os pelo exame das nomeações clássicas que foram identificadas com figuras historicamente patriarcais. Ao fazer este percurso, evocando a estratégica da hermenêutica bíblica feminista, objetivamos desconstruir estas identificações e ressituá-las metaforicamente; privilegiar nomeações que se afastam da normatividade masculina para se referir a Deus. Geralmente, estas imagens estão associadas a um poder patriarcal, onde predomina uma linguagem metafísica e objetiva. Não obstante, quando essas imagens estão associadas a relações de reciprocidade, de inclusão das diferenças e do respeito da pluralidade, a linguagem é predominantemente metafórica. Além de estabelecer o contraste entre essas duas formas de linguagem, nossa hipótese é de que esta última é a mais adequada para se referir a Deus na época atual.
  • O Ativismo Católico: Bioética, Direitos Reprodutivos e Gênero

    Sales, Lilian (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-11-22)
    Resumo: Neste artigo, acompanharemos o processo de formação do ativismo católico antidireitos sexuais e reprodutivos e antigênero na Igreja Católica, descrevendo alguns de seus momentos e características centrais. Retraçaremos as linhas da política institucional instituída pelo Vaticano que culminaram na explosão militante católica contrária a esses temas. Analisaremos desde a organização da ofensiva doutrinária e acadêmico-científica, marcada pela produção de concepções teológicas e pela sua defesa em termos não doutrinais, mas científicos, jurídicos e filosóficos por experts vinculados à Igreja Católica, até a organização da ofensiva pastoral, centrada na difusão das categorias antidireitos sexuais e reprodutivos e antigênero por meio de todo o aparato institucional da Igreja, desde seu topo até suas bases.
  • Diálogos sobre a obra de Heleieth Saffioti e o feminismo de esquerda

    Silveira, Maria Lucia da; Godinho, Tatau (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-05-26)
    Resumo: Tendo o marxismo como instrumental teórico para compreender as desigualdades entre mulheres e homens nas sociedades de classes, a obra de Heleieth Saffioti foi pioneira ao apontar que as categorias de sexo, raça/etnia e classe são constitutivas da sociedade, destacando o papel do trabalho nas relações de desigualdade. A articulação dessas contradições foi um debate importante na formação do feminismo que se forjou no país a partir da década de 1970, com uma forte militância de mulheres de esquerda, e permanece central para o feminismo hoje. Ao final dos anos 1980, priorizando elaborações sobre o conceito de gênero, classe e raça/etnia e o tema da violência, Heleieth Saffioti renovou sua presença intelectual e militante no feminismo no Brasil em novos diálogos que inspiram a intervenção feminista e as lutas dos movimentos de mulheres que visam à transformação da sociedade.
  • Notas sobre A mulher na sociedade de classes

    Garcia, Carla Cristina (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-05-26)
    Resumo: Este artigo tem como objetivo apontar a importância do estudo inaugural de Heleieth Saffioti, A mulher na sociedade de classes: mito e realidade (1969), tanto para o desenvolvimento do pensamento feminista brasileiro quanto para a pesquisa sociológica desenvolvida por e sobre mulheres na América Latina. Seguindo as instruções de Antonio Candido (2013), analisamos o livro como quem observa um tríptico: como centro, a teoria do materialismo histórico; na lateral esquerda, uma profunda análise do papel que a mulher ocupa nas sociedades ocidentais capitalistas em geral e no Brasil, em particular; na lateral direita, uma crítica feroz aos mitos que cercam as ideias sobre o proceder científico de homens e mulheres.
  • Sacerdotisas africanas no mundo bíblico. Leitura decolonial de Êxodo 4.24-26

    Caldeira, Cleusa; Artuso, Vicente (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-11-16)
    Resumo: Da experiência espiritual da mulher negra em diáspora, surge um pensamento fronteiriço como resposta bíblico-teológica à experiência histórica do racismo. Trata-se de um exercício hermenêutico que assume o imperativo ético e epistemológico da decolonização da teologia e da Bíblia, visto que ambas serviram como “ferro em brasa” para subjugar e desumanizar os povos de origem africana. De um exercício interpretativo a partir do subalterno, desvela-se o protagonismo espiritual da mulher negra no mundo bíblico a fim de revelar as matrizes africanas da fé judaico-cristã. Com isso, anseia-se contribuir para a desconstrução do imaginário eurocêntrico que segue legitimando a dominação e o aniquilamento do outro e, assim, cooperar para a reconstrução de um imaginário despatriarcalizado e antirracista.
  • A mulher na sociedade de classes: um clássico dos estudos de gênero

    Sorj, Bila; Araujo, Anna Bárbara (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-05-26)
    Resumo: Este artigo discute a recepção da obra de Heleieth Saffioti, com ênfase no livro A mulher na sociedade de classes: mito e realidade, nas Ciências Sociais e Humanas brasileiras ao longo das últimas cinco décadas. O objetivo do artigo é mostrar como a circulação dos escritos de Saffioti se manteve irregular e como dialoga com a área de estudos de gênero e feminista no país. Para tal, é realizada uma análise bibliométrica das citações à autora, bem como são investigadas as dinâmicas de formação e consolidação do campo dos estudos de gênero no Brasil.
  • Uma perspectiva feminista ao jornalismo para a paz

    Salhani, Jorge; Santos, Heloisa dos; Cabral, Raquel (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-11-30)
    Resumo: A partir da premissa de que muitos conceitos que guiam o jornalismo advêm de uma tradição masculina, os estudos sobre jornalismo feminista propõem novas práticas, baseadas na ética do feminismo perspectivista interseccional. Esta forma de se pensar a produção jornalística conversa com as teorias do jornalismo para a paz, que colocam a mídia como ferramenta para a transformação de conflitos. Neste artigo, a partir de revisão teórica, trabalhamos as tensões, diferenças e as possíveis contribuições da interseção entre o jornalismo feminista e o jornalismo para paz para a prática jornalística e para a pesquisa acadêmica.
  • Da violência obstétrica ao empoderamento de pessoas gestantes no trabalho das doulas

    Barrera, Daniela Calvó; Moretti-Pires, Rodrigo Otávio (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-05-26)
    Resumo: A partir da realização de entrevistas com doulas de diferentes regiões brasileiras e de uma postura construcionista como suporte epistemológico e metodológico buscamos compreender os sentidos atribuídos às suas experiências e às suas vivências na doulagem e aos contextos relacionais em que se inserem. São citadas algumas das situações de violência com as quais as entrevistadas se deparam no cotidiano da sua atuação e na importância da vinculação entre mulheres para o fortalecimento da autonomia e empoderamento e superação das vulnerabilidades. Como resultado, o artigo aponta que a atuação como doula não apenas traz a possibilidade de empoderamento para a pessoa gestante, por meio do apoio e da informação trazidos pela presença da doula, como também para a própria doula, ao se conectar a outras mulheres com o intuito de enfrentamento das iniquidades com as quais se defronta.
  • Práticas de percepção da fertilidade entre mulheres jovens

    Klöppel, Bruna; Rohden, Fabíola (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2021-05-26)
    Resumo: Neste artigo temos como objetivo caracterizar uma configuração em torno da percepção da fertilidade e descrever sua articulação ao aparato de gênero e à biomedicalização. Com uma abordagem etnográfica, tomamos como ponto de partida um grupo no Facebook sobre percepção da fertilidade e realizamos entrevistas semiestruturadas com seis de suas porta-vozes. Além disso, analisamos livros e sítios que nos foram indicados nessas entrevistas e fizemos observação participante em um curso presencial ministrado por uma das interlocutoras. Concluímos que concomitante a projetos coletivos de empoderamento de corpos e subjetividades com ciclos menstruais, há responsabilização individual pela saúde e pelo autoaprimoramento. Ademais, reforça-se a substancialização do binarismo sexual com a produção de uma “natureza hormonal”, ainda que seja mais associada à saúde que ao gênero.
  • Errata: A Violência Doméstica e Racismo Contra Mulheres Negras

    Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01
  • Na luta para mudar o mundo: mulheres, reprodução e resistência na América Latina

    Federici,Silvia; Valio,Luciana Benetti Marques (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
    Resumo: Resistência e ação coletiva são características de mobilizações sociais organizadas por mulheres na América Latina desde a década de 70, muito embora os arranjos desse processo tenham alcançado notória visibilidade nos últimos anos. No momento em que suas comunidades foram submetidas ao poder de destruição do capitalismo, do patriarcalismo e da degradação do meio ambiente, as mulheres latino-americanas uniram-se e, por meio de seus esforços, traduzidos em ações coletivas pela transformação do trabalho cotidiano, social e reprodutivo, promoveram uma nova definição de política e democratização. Nesse contexto particular de espaço, tempo, vida e corpo humano, voltado a uma única perspectiva, surgiram o conceito de comum e a adoção de práticas organizacionais pautadas pelo princípio da horizontalidade. O ativismo dessas mulheres, cujo panorama é tecido no presente artigo, é, segundo as palavras da autora, Silvia Federici, uma força importante para a mudança social na América Latina e uma inspiração para as feministas e os outros movimentos ao redor do mundo.
  • Covid-19, instituciones financieras internacionales y continuidad de las políticas androcéntricas en América Latina

    Bohoslavsky,Juan Pablo; Rulli,Mariana (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
    Resumen Este artículo analiza, desde una perspectiva de derechos humanos y de la economía feminista, las políticas financieras de emergencia desplegadas por las instituciones financieras internacionales (IFIs) -sobre todo el FMI y el Banco Mundial- para ayudar a los Estados de América Latina a enfrentar la crisis del Covid-19. Se estudian los presupuestos macroeconómicos y fiscales, así como las políticas económicas subyacentes a los créditos que las IFIs están otorgando a los Estados, identificando claras señales de que la disciplina fiscal y las opciones promercado continuarán siendo las prioridades apenas se supere la emergencia. Se explica de qué modo las políticas de ajuste y la austeridad implementadas en los países de la región han afectado los derechos de las mujeres de manera adversa y desproporcionada, en particular reforzando la invisibilización de las desigualdades de género en el trabajo doméstico y de cuidados, y cómo esa situación, a su vez, ha posicionado a las mujeres en una situación de mayor vulnerabilidad frente a la pandemia. También se critica el (auto)llamado “enfoque de género” de las IFIs por ser meramente instrumental al crecimiento económico sin consideración por el valor intrínseco de la igualdad de género y los derechos de las mujeres. Se analiza la responsabilidad de las IFIs por complicidad con políticas económicas con efectos reconocidamente adversos sobre la igualdad de género. Dadas las implicaciones políticas y legales de los hallazgos que presenta esta investigación, el artículo concluye que los Estados de la región deberían considerar cuidadosamente las condiciones de los préstamos ofrecidos por las IFIs, para lo cual resulta esencial realizar evaluaciones ex ante del impacto de tales contratos financieros sobre los derechos humanos de la población, y en particular sobre la igualdad de género.
  • Chega de Silêncio

    Arguello,Katie Silene Cáceres; Horst,Juliana de Oliveira (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
    Resumo: Neste trabalho, usando o levantamento bibliográfico como metodologia, buscamos analisar a importância acadêmica, para o campo da criminologia, dos relatos de experiências produzidos por mulheres. Primeiramente, a partir de Sandra Harding, veremos como a exclusão de mulheres e de seus relatos da produção dos saberes está ligada à invisibilização de certos fenômenos sociais, inclusive criminais. Nesse ponto, também apresentaremos a relevância, tanto para a criminologia, quanto para o feminismo, do critério de necessidade elaborado por Eugenio Zaffaroni. Em um segundo momento, de acordo com narrativas de mulheres encarceradas trazidas, principalmente, por Debora Diniz e Nana Queiroz, identificaremos conceitos feministas e situações de opressão de gênero que devem ser trazidos para a criminologia para que esta compreenda a criminalidade feminina e seus efeitos de forma mais ampla.
  • Debaixo do Tapete: A Violência Política de Gênero e o Silêncio do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados

    Pinho,Tássia Rabelo de (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
    Resumo: O debate sobre a violência contra as mulheres na política tem ganhado força em âmbito internacional. No Brasil, entretanto, esta se mantém invisibilizada, mesmo diante de casos emblemáticos que seguem se multiplicando. Considerando tal lacuna no debate acadêmico e também social, as denúncias realizadas por parlamentares mulheres em relação aos abusos sofridos no Congresso Nacional, e casos amplamente noticiados pela mídia que se enquadrariam na tipologia de violência política de gênero apresentada neste artigo, buscou-se compreender o papel exercido pelo Conselho de Ética e Decoro da Câmara dos Deputados diante de representações abertas em função de denúncias de violência política de gênero. A pesquisa foi realizada por meio do levantamento da participação das mulheres no referido Conselho, e da análise dos encaminhamentos dados às denúncias supracitadas.
  • Experiência e família na literatura de Ana Castillo

    Madella,Thayse (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
  • Psicanálise e Gênero: tão íntimo, tão estranho

    Angeli,Gustavo; Barros,Vinicius da Rocha (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
  • Uma contribuição para a teoria de gênero

    Signorelli,Marcos Claudio (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
  • Before and after gender, o “livro perdido” de Marilyn Strathern

    Sander,Vanessa (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)
  • A discussão do colonialismo partindo da língua portuguesa

    Nodari,Sandra; Sousa,Jorge Pedro de (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2020-01-01)

View more