A Estudos Feministas é um periódico de publicação quadrimestral, indexado e interdisciplinar, de circulação nacional e internacional. A Revista Estudos Feministas aceita originais, em português e em espanhol, em forma de artigos, ensaios e resenhas, que podem ser tanto específicos a uma determinada disciplina quanto interdisciplinares em sua metodologia, teorização e bibliografia. Os textos publicados contribuem para o estudo das questões de gênero, sendo provenientes de diversas disciplinas: sociologia, antropologia, história, literatura, estudos culturais, ciência política, medicina, psicologia, teoria feminista, semiótica, demografia, comunicação, psicanálise, entre outras.

News

The Globethics.net library contains articles of Revista Estudos Feministas as of vol. 9(2001) to current.

Recent Submissions

  • Violencia de género, feminismo y representación en Cuba

    García,Yuliuva Hernández (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumen: El artículo presenta un análisis teórico-metodológico de los estudios sobre violencia contra las mujeres por motivos de género en Cuba, problemáticas que presenta el feminismo cubano actual y los vínculos de estas cuestiones con el fenómeno de la representación, tomando como referente para el debate y crítica las investigaciones sobre el tema por más de diez años en el municipio Moa. El análisis se realiza sobre la base teórica y metodológica del feminismo descolonial, en su especial interrelación con las Epistemologías del Sur, para ofrecer otras posibles alternativas de transformación para la ciencia y el activismo feministas cubanos, los estudios sobre violencia en específico y la práctica política feminista en general en los actuales momentos que vive el país.
  • Gênero e ensino de Artes Visuais: desafios, armadilhas e resistências

    Dias,Taís Ritter; LOPONTE,LUCIANA GRUPPELLI (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Este artigo origina-se de uma inquietação suscitada pela ausência de pesquisas acadêmicas que articulem estudos de gênero e ensino de Artes Visuais. Para friccionar e problematizar o silêncio que ronda este tema, realizamos três movimentos. Iniciamos contextualizando alguns impasses que reiteradamente têm afastado a discussão de gênero da disciplina; em seguida, realizamos a análise de alguns artigos - disponíveis nos anais de dois importantes eventos da área de arte e educação - que abordam a temática. Nessa análise, lançamos mão dos conceitos gênero, poder e resistência, apreendidos de autores e autoras vinculados ao pós-estruturalismo, visando ao apontamento de alguns desafios colocados por esses artigos. No último movimento, esboçamos algumas intervenções feministas, ensejando que tais discussões se proliferem no ensino de arte.
  • Corpo infectado/corpus infectado: aids, narrativa e metáforas oportunistas

    Alós,Anselmo Peres (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: A constante presença do corpo nas narrativas de aids (e a consequente problematização do seu status ontológico) é apenas uma recorrência temática, ou estaria ligada a processos metafóricos e alegóricos que apontam para uma discussão para além da corporeidade humana? Mais do que isso, constantes em todas as narrativas de aids são a urdidura que confronta, simultaneamente, uma micropolítica do desejo, relacionada ao exercício ascético com a construção do si mesmo através da dicção literária (não raro extrapolando os limites entre ficção e biografia), e uma preocupação com os compromissos do discurso literário com a vida política e social de seus respectivos países de origem.
  • A disforia de gênero como síndrome cultural norte-americana

    Henriques,Rogério da Silva Paes; Leite,André Filipe dos Santos (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: O diagnóstico “disforia de gênero”, proposto pela quinta edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), é apresentado como uma “síndrome cultural” norte-americana, ilustrando a tendência expansionista da American Psychiatric Association (APA) em arregimentar as experiências de trânsito de gênero que escapem à matriz de inteligibilidade centrada em torno do masculino/feminino. A esse diagnóstico, forjado pelo pensamento binário estadunidense, nos moldes da chamada disease mongering, opõe-se a experiência da travesti brasileira como alteridade radical para com a matriz de inteligibilidade de gênero instituída.
  • Quando o amor é o problema: feminismo e poliamor em debate

    Pilão,Antonio Cerdeira (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Poliamor é um termo que designa a possibilidade de estabelecer múltiplas relações afetivas e sexuais de forma concomitante, consensual e igualitária. No presente artigo é analisado como esse modelo de conjugalidade foi apresentado, interpretado e debatido na internet por feministas e poliamoristas. O objetivo é investigar em que medida ele foi entendido como contraditório ou compatível com o feminismo. A pesquisa foi conduzida a partir da análise de três textos que apresentam problemas na aplicação do poliamor em um contexto de desigualdades de gênero, de raça e de classe social.
  • La práctica artística como lugar de visibilización de las mujeres transgénero de Pereira (Colombia)

    Silva-Cañaveral,Sandra Johana (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumen: La práctica artística ha privilegiado la experiencia de lo ‘vivido’ por las mujeres y por otros sujetos, porque ella en sí misma es un saber de la experiencia humana. Esta abertura sensible a lo ‘vivido’ permite abarcar en el ejercicio de la creación a todos los seres humanos, así como a todas las esferas en las que experimentan su subjetividad. El propósito de este artículo consiste en mostrar los resultados de la investigación-creación llevada a cabo con cinco mujeres transgénero y una comunidad de creadores y creadoras en la ciudad de Pereira, Colombia, cuyos registros estéticos y artísticos produjeron nuevas operaciones simbólicas y cognitivas al convertir la experiencia de lo ‘vivido’ en una urdimbre de visibilización, interlocución y reivindicación de las subjetividades y de sus identificaciones cognitivas, sociales, políticas, sexuales y de género.
  • Tornar-se mulher negra: escrita de si em um espaço interseccional

    Weschenfelder,Viviane Inês; Fabris,Elí Terezinha Henn (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: No artigo visa-se à compreensão de como se articula e quais os efeitos do processo de subjetivação identitário produzido por mulheres negras contemporâneas que narram suas experiências de vida no blog Blogueiras Negras. Para o estudo foram selecionadas narrativas autobiográficas publicadas neste espaço interseccional. A análise parte de algumas chaves de leitura fornecidas por Michel Foucault e de outros(as) autores(as) que se agregam ao pensamento pós-estruturalista. O movimento de tornar-se mulher negra evidencia processos de sujeição e subjetivação que ocorrem através de um trabalho de si que é ético e político. A partir de sua identificação com a negritude e com o Feminismo Negro, as autoras estabelecem outras formas de relacionar-se consigo e com os outros (negras/os e brancas/os), o que vem produzindo novos contornos às relações étnico-raciais brasileiras.
  • Feminismos Transnacionais: saberes e estéticas pós/descoloniais

    Schmidt,Simone Pereira; Macedo,Ana Gabriela (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
  • Ciência sucessora e a(s) epistemologia(s): saberes localizados

    Góes,Juliana (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: O presente artigo é uma reflexão sobre a importância de uma nova forma de ciência, bem como sobre possíveis eixos para uma ciência feminista. Propõe-se, aqui, a substituição de um fazer científico neo-positivista por um modelo de ciência que entenda as formas de produzir saber oriundas de diferentes comunidades epistêmicas, que adote a objetividade como saberes localizados e que, ao invés de incorporar o liberalismo, seja comprometido com a libertação dos grupos subjugados. O modelo proposto também inclui um novo objetivo para a ciência, que ao invés de buscar a lei universal do mundo, busque a tradução de diferentes realidades e permita uma relação de accountability entre os sujeitos de pesquisa.
  • Encontros e despedidas: migração de mulheres militares da Aeronáutica

    Araujo,Thais Ferreira de; Roso,Adriane (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Este estudo, de caráter qualitativo, objetivou conhecer os significados das experiências de migração de mulheres no contexto militar. Utilizando um enfoque psicossocial crítico e recorrendo, em especial, às teorias de gênero e a teoria das Representações Sociais, buscou-se, especificamente, compreender de que forma essas experiências contribuíram para a construção da subjetividade. Por meio da narrativa de mulheres militares, concluímos que a experiência de tornar-se uma mulher só, em um lugar desconhecido, está carregada de representações e significados que reforçam permanências em uma cultura de subordinação de gênero, em que as mulheres permanecem em lugares de não poder.
  • Imagens de violência de gênero em telenovelas brasileiras

    Caminhas,Lorena Rúbia Pereira (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: O presente artigo investiga o modo como é retratada a violência perpetrada contra as vilãs de telenovelas brasileiras, por seus pais, maridos e amantes. Questiona se as cenas nas quais essas mulheres são agredidas estão inseridas em um contexto no qual tal violência é declarada e questionada, ou se elas aparecem destituídas de qualquer indagação sobre o fato de se representar um homem batendo em uma mulher. Foram selecionadas nove novelas para análise, exibidas entre os anos 2000 a 2017, sendo todas “novelas das oito” apresentadas no horário nobre (21 horas). Ao final do percurso, buscou-se evidenciar um regime de representação que nega a violência de gênero inerente a essas imagens e suas possíveis consequências.
  • Não soltaremos as mãos

    Lago,Mara Coelho de Souza; Wolff,Cristina Scheibe; Minella,Luzinete Simões; Ramos,Tânia Regina Oliveira (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
  • Norma Técnica de Padronização e as Delegacias das Mulheres em Santa Catarina

    Oliveira,Ana Claudia Delfini Capistrano de; Ghisi,Ana Silvia Serrano (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa realizada com delegados/as que atuam nas Delegacias Especializadas de Atendimento às Mulheres em 19 regiões de Santa Catarina. Os objetivos principais foram compreender o perfil dos delegados/as e analisar a adequação das atividades policiais e das condições estruturais administrativas das Delegacias em relação à Norma Técnica de Padronização das Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher. A abordagem metodológica apoia-se em dados quantitativos obtidos com a utilização de um questionário online, respondido pelos delegados/as. Os resultados da pesquisa mostram que as delegacias são majoritariamente comandadas por delegados homens, que as condições estruturais e atividades executadas nas referidas unidades policiais estão aquém do previsto na Norma.
  • Costureiras, mucamas, lavadeiras e vendedoras: O trabalho feminino no século XIX e o cuidado com as roupas (Rio de Janeiro, 1850-1920)

    Monteleone,Joana de Moraes (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: O trabalho assalariado feminino se transforma no século XIX, enquanto se desenvolve o capitalismo. Se, por um lado as mulheres passam a ser vistas como consumidoras de mercadorias, por outro esse consumo dá início a uma série de transformações nas suas vidas. As mulheres passam a sair da casa para comprar, em especial, roupas. A indústria de confecção, que começa a partir de pequenos ateliês, abre espaço para novos tipos de trabalho feminino remunerados: vendedoras, costureiras, fazedoras de chapéus. Multiplicam-se os trabalhos femininos no cuidado com a roupa e no vestir-se das mulheres de elite. Mas são as mucamas, as costureiras e as lavadeiras, geralmente escravas, que vão transformar o tipo de trabalho feito por mulheres no século XIX.
  • Desvelando afinidades através das diferenças: saberes e estéticas pós/descoloniais

    Harris,Leila Assumpção (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Sob o viés do feminismo multicultural, os conceitos de relacionalidade, de posicionamento dos discursos e das interseccionalidades de opressões são instrumentais para um melhor entendimento das múltiplas perspectivas que norteiam as práticas feministas atuais, ancoradas em saberes e estéticas pós e descoloniais. Nosso objetivo é colocar em pauta as práticas e estéticas políticas adotadas por mulheres de lugares geográficos e sociais bastante diversos. A produção artística que desenvolvem através de linguagens e narrativas variadas promove possibilidades de fomentar poéticas de resistência e descolonização de gênero que desafiam nossa compreensão tradicional sobre o estético, o político e o epistemológico.
  • Trajetórias e experiências: a construção do sujeito político feminista desde uma perspectiva interseccional

    Dell’Aglio,Daniela Dalbosco; Machado,Paula Sandrine (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Neste artigo, busca-se analisar a produção do sujeito político feminista no contexto da cidade de Porto Alegre, a partir das trajetórias de personagens que fizeram parte de um momento político: o “racha” da Marcha das Vadias, em 2014. Trata-se de um estudo qualitativo, para o qual foram realizadas sete entrevistas etnográficas, com ênfase na narrativa biográfica. As trajetórias analisadas, partindo das experiências, apontam para identificações com os feminismos de forma plural, sendo possível compreender de que modo a identidade política feminista se intersecciona com marcadores sociais da diferença como classe social, raça, geração e identidade de gênero. Esse estudo possibilita a visibilização de um conflito potente para a construção e pluralidade dos feminismos contemporâneos.
  • (Trans)tornando a norma cisgênera e seus derivados

    Silva,Felipe Cazeiro da; Souza,Emilly Mel Fernandes de; Bezerra,Marlos Alves (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumo: Este artigo de revisão teórica tem como objetivo abordar a cisgeneridade, ou o termo cisgênero, e sua ramificação nas interações cotidianas de modo a compreender as inteligibilidades que a acompanham, bem como os efeitos que são (re)produzidos. O pensamento de Foucault e de algumas autoras trans foi o referencial teórico utilizado para a investigação científica dos regimes de verdade, da produção de resistência e de experiências éticas e estéticas. Assim, foi possível demonstrar os atravessamentos percebidos entre discursos e biopolíticas que modulam formas de ser e de estar no mundo, convocando novos avanços para os estudos de gênero e sexualidades, além de expor importantes elementos para os processos de subjetivação e da busca de problematização da cisgeneridade para reconhecer a importância da utilização do termo para uma análise mais igual da experiência humana.
  • Feminismos e Gênero em tempos de mal-estar

    Ramos,Tânia Regina de Oliveira; Minella,Luzinete Simões; Lago,Mara Coelho de Souza; Wolff,Cristina Scheibe (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
  • Problematizando el discurso biológico sobre el cuerpo y género, y su influencia en las prácticas de enseñanza de la biología

    Marin,Yonier Alexander Orozco (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)
    Resumen: El ensayo tiene como tesis central reconocer la necesidad de problematizar el discurso biológico sobre género y el cuerpo, y su circulación en los contextos escolares como un conocimiento científico neutro y objetivo basado en la suposición de género normalizado y cuerpo ideal que ubica a los cuerpos diferentes, extraños, al margen. Inicialmente se discuten los conceptos de cuerpo ideal y de cuerpos al margen. Seguidamente se ofrece una serie de argumentos que justifican la necesidad de problematizar ese discurso biológico. Finalmente se discuten posibles caminos y rutas para esa problematización, recurriendo a presupuestos teóricos de la decolonialidad, aportando algunas reflexiones específicas para la enseñanza de la biología. El ensayo discute significaciones ideológicas y colonizadas que permean y fundamentan el discurso biológico.
  • “O humor mostra... como as coisas não devem ser”: uma entrevista com Ciça

    Crescêncio,Cintia Lima (Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-01-01)

View more