Now showing items 16823-16842 of 86160

    • D is for doctors...

      Ali, Mushtaque (Forum for medical ethics society, 2002)
      "According to the Oxford New English Dictionary a doctor is a person who is qualified to heal an ill person. Today medical professionals have come a long way. Once seen as witch doctors-cum-magicians, now they stroll the corridors of high-tech hospitals with regal airs. In a dehumanising technical age, where diseases and patients are seldom seen in their unity, doctors in their pursuit of self and skill advancement convince others as much as themselves of their proficiency in the field of healing with the help of four invaluable tools - drugs, devices, drips and degrees"
    • D'oh! An analysis of the medical care provided to the family of Homer J. Simpson

      Patterson, Robert (Canadian Medical Association, 1998)
      "These are hard times for physicians. Governments blame doctors for spiralling health care costs as they slash spending. Ethicists decry medical paternalism. Our patients — sorry, our clients — demand to be treated like consumers. And political correctness has changed the way we speak. It’s enough to give your average doctor an identity crisis. Who are we? Who should we aspire to be?"
    • D. Antônio de Macedo costa e a posição da igreja do brasil diante do advento da república em 1889 [Don Antonio de Macedo coast and the position of the Church of Brazil before the advent of the republic in 1889]

      Azzi, Riolando (Faculdade Jesuita de Filosofia e Teologia, 1976)
      "Os dois últimos anos de vida de D. Macedo Costa foram de uma importância excepcional e decisiva na história da Igreja do Brasil. A atuação de D. Macedo Costa pode ser sintetizada nesse período em três aspectos principais: — promoção da reforma da Igreja no Brasil — participação junto ao governo republicano no estudo do projeto de separação entre Igreja e Estado — papel relevante como metropolita do Brasil na preparação do Concilio Nacional. Em artigo anterior já enfocamos o primeiro aspecto das atividades de D. Macedo Costa dentro do movimento dos bispos reformados. No presente estudo queremos dar relevo à sua atuação junto ao governo republicano para defender os direitos da Igreja no momento em que se preparava o decreto de separação entre Igreja e Estado" ["The last two years of life D. Macedo Costa were exceptional and decisive importance in the history of the Church in Brazil. The work of D. Macedo Costa can be synthesized in this period in three main aspects: - promoting the reform of the Church in Brazil - share of the republican government in the study design of separation between Church and State - role as Metropolitan of Brazil in preparation the National council. In the previous article we focus on the first ever appearance of D. Macedo Costa activities within the movement of retired bishops. In the present study we give prominence to its work with the Republican government to defend the rights of the Church at the time was preparing a decree of separation between Church and State"]
    • D. G. K. Taylor, ed. Studies in the Early Text of the Gospels and Acts.

      Peterson, William L. (Society of Biblical Literature, 2002)
      "This pleasing paperback volume contains eleven studies (ten in English; one in Spanish with an English abstract), papers delivered at the Birmingham Colloquium on the Textual Criticism of the New Testament, held on 14-17 April 1997. The volume is broadly divided into two parts: one on "theoretical issues" (as David Parker puts it in the Preface) and one on detailed studies of a specific passage or witness. Well edited by David Taylor, the volume is a welcome and useful contribution to the discipline. This review summarizes each of the chapters, followed by a few concluding comments. We turn first to the five chapters that constitute the "theoretical issues" section."(pg 1)
    • D. Helder, irmão dos pobres [D. Helder, brother of the poor]

      Gomes de Souza, Luiz Alberto (Faculdade Jesuita de Filosofia e Teologia, 1981)
      "Conheci D. Helder Câmara de longe, na organização gigantesca do Congresso Eucarístico internacional de 1955, em meio a toda uma incrível parafernália e uma imensa mobilização: seria um grande e eficiente empresário do Reino de Deus? Logo depois convivi com ele na Ação Católica, de 1956 a 1958. Aí acompanhei de perto o trabalho do Dom, como o chamávamos — ou Pe. Helder —, no velho e escuro palácio São Joaquim, auxiliado pela maravilhosa e inesquecível Cecilinha e por um bando de devotadas auxiliares. Fui descobrindo aos poucos um outro D. Helder, humano, malicioso, político hábil, ouvindo e seguindo tudo, sem perder uma vírgula dos debates, através da pesadas pálpebras e olhos semicerrados" ["I met Dom Helder Camara by far the gigantic organization of International Eucharistic Congress 1955, amid a whole paraphernalia amazing and a huge mobilization: it would be a great and efficient manager of the Kingdom of God? Soon after he lived with in Catholic Action, 1956-1958 Then I closely followed the work of the Sun, as we called him -. Helder or Father - in the old palace and dark São Joaquim, aided by the wonderful and unforgettable Cecily and a band of devoted assistants. I was slowly discovering another D. Helder, human, malicious, skilled politician, listening and following all without missing a comma debates through heavy eyelids and squinting"]
    • D. Serafim, o cardeal das alterosas [Serafim, Cardinal of towering]

      desconocido (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, 1998)
      "Há dignidades que nem surgem da profundidade interior da pessoa nem se convertem em missão a serviço da comunidade. Vestem a vaidade vazia de desejos mundanos. Há outras que vêm coroar uma vida de entrega e serviço, e reforçam-na. Participam da "clara cum laude notitia", na feliz expressão de Cícero, sendo um "reconhecimento luminoso difundido com louvor" para alegria do dignitário e do povo a que serve. Ou ainda, de maneira mais profunda, é a face gloriosa da santidade escondida, conforme a maneira bíblica de entendê-Ia."
    • D.Bonhöeffer als 40 de la seva execució [D.Bonhöeffer 40 of its execution]

      Manresa, Ferran (Cristianisme i Justícia, 1987)
      "En el curs d'aquest discontinu esbós del testimoniatge de Bonhöffer potser hem pogut percebre o intuir amb quina força i convicció ens parla del seguiment de Jesucrist, de la comunitat Església, de la pregunta sobre la veritat: què hem de fer ara i aquí?, de la responsabilitat social i viscuda personalment del cristià. Al llarg d'aquest testimoniatge, plural i discontinu, veiem que la fe revela la plenitud de la vida cristiana en la llibertat solidària. Tot un seguit de circumstàncies no sols diferents sinó pràcticament contradictòries, són viscudes en una "regalada" -més que pretesaintegració: el teòleg viu de la fidelitat i l'home de la fidelitat recorre a la reflexió crítica. L'escriptor aventura camins i accions i l'home d'acció és un coneixedor a fons de les Escriptures. El pacifista es converteix en un conjurat i el conjurat continua essent radicalment un pacifista. L'home que ataca, amb paraules i amb fets, és tímid i tendre i el seu concepte de les coses humanes i la seva tendresa envers els homes concrets, fa canviar el seu entorn."
    • D.M. Baillie on the Person of Christ

      Klem, Arthur W. (Evangelical Theological Society, 1964)
      "The Scottish theologian, D. M. Baillie is a figure of impressive stature as pastor, church leader and professor of theology. His personal impact on his students has been estimated in these words of a former student: From the beginning we realized that he was a giant and so great was our awe of him that we were in danger of regarding him as an Olympian who dwelt apart. We soon learned that he was the simplest and friendliest of men, the most hospitable of hosts, a born story-teller, a genius with children. As the months passed into years we discovered something else—he was a saint in whose transparent humility we saw reflected the beauty of holiness.' When he died in October 1954, Donald Macpherson Baillie had just completed an appendix to, and the new edition of, his major work, God Was In Christ. This book presents us with a mature and comprehensive study of the person and work of Christ. Indeed, Rudolph Bultmann calls it "the most significant book of our time in the field of Christology""
    • DA CONSIDERABILIDADE MORAL DOS SERES VIVOS

      Felipe, Sônia T. (Universitade Federal de Santa Catarina, 2006-07)
      This paper examines the critical arguments presented by Kenneth E. Goodpaster against Singer and Frankena, who choose sentience as a moral criterion to define members of a moral comunity. Goodpaster sees limits in adopting the sentience criterion to found a genuine environmental ethics. According to him, the only authentical principle to found a genuine environmental ethics should be the life criterion. Key words: Life, Sentience, Environmental Ethics, Interests, Vulnerability, Moral Considerability Resumo Este artigo reconstitui a crítica e os argumentos de Kenneth E. Goodpaster contrários à proposta ética de Singer e Frankena, cujo critério definidor da linha divisória para a constituição da comunidade moral é a senciência. Goodpaster encontra limites no critério da senciência, por não ser apto a fundamentar uma ética genuinamente ambiental. Para o autor, o único critério de considerabilidade moral, apto a fundar uma ética ambiental genuína é o da vida.
    • Da 'humani generis' à 'fides et ratio' [The 'humani generis' to 'fides et ratio']

      Palácio, Carlos (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, 1999)
      "Não seria impróprio a uma comemoração como esta começar com loas aos grandes homens que fizeram esta história. É o que na linguagem da eficácia moderna - sem dúvida mais prosaica - se chama fazer um balanço. Esforço este que não pode ser confundido com um fácil saudosismo do passado. E muito menos levar-nos a repousar sobre louros. Fazer memória, resgatar os "nzemorabilia", os fatos dignos de recordação, é, antes de tudo, condição indispensável para darmos graças a Deus por esses 50 anos. E, além disso, é um ato de justiça para com todos aqueles que, de formas diversas, tornaram possível uma vida cuja fecundidade não pode ser quantificada."
    • Da AIDS e do Direito [AIDS and the Law]

      Pedrotti, Irineu Antônio (Conselho Federal de Medicina, 1993)
      "O autor enfoca amplamente as situações em que o portador do HIV pode suscitar problemas de Direito, trazendo à consideração do leitor toda norma jurídica que pode ser aplicada para pautar o relacionamento do portador do Crus com a sociedade. São registos artigos Constitucionais, dos Códigos Civil e Penal, da Lei de Acidentes do Trabalho, do Código de Ética Médica, além de portarias ministeriais, buscando-se seu ajuste à situação do paciente com AIDS. O estudo é desenvolvido nas áreas cível, criminal e da legislação de acidentes do trabalho."
    • Da Aletheia à Parresia [Aletheia of the parresia]

      Fachin, Patrícia (Instituto Humanitas Unisinos - IHU, 2015)
      "Cocco diz ainda que a gravidade do depoimento do ex-presidente Lula à Polícia Federal não se deve ao fato de estar depondo, mas por “ter participado de um esquema de interesse do grande capital nacional (...) Está sendo interrogado por ter alimentado com isso uma campanha eleitoral pelos interesses das empreiteiras e por fora até do caixa 2, por ter feito um ajuste recessivo no ano passado junto com a Dilma, que levou a milhões de desempregados depois de cortar o seguro desemprego, que levou à quebra da Petrobras até tornar sua privatização inevitável”. E conclui: “Nós precisamos pensar não na Aletheia, mas na Parresia: na coragem da verdade, em ousar não apenas saber, mas também saber ousar, colocar tudo isso na perspectiva das práticas de inovação da democracia”."
    • Da autoridade na igreja [The authority in the church]

      Palácio, Carlos (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, 1987)
      "A autoridade na Igreja tem também a sua face humana. Face pela qual está exposta à curiosidade e à investigação das chamadas ciências humanas. Ninguém ignora as "suspeitas" que a sociologia ou a psicologia — para falarmos só destas duas — poderiam levantar (e levantam) sobre o fenômeno do poder ou sobre o exercício da autoridade na Igreja. E essa face, por mais obscura ou dolorosa que se revele, não deveria ser encoberta apressadamente com o véu do "espiritual" ou com o recurso indiscriminado (e por isso perigosamente ideologizável) à legitima ção da fé. É verdade que as ciências humanas nunca nos revelarão o original, o específico, o que deveria ser a autoridade na Igreja. Mas podem nos iluminar positivamente sobre o que ela é realmente muitas vezes."
    • Da Bioética ao Biodireito e ao Direito da Saúde [Bioethics to Biolaw and Health Law]

      Dias Pereira, André (Conselho Nacional de tica para as Ci ncias da Vida, 2014)
      "Em 1974, os direitos dos doentes constituíam ainda uma ideia vaga e longe das preocupações dos juristas e da comunidade política. Com efeito, é nos anos 90 do século passado que pela Europa se foi intensificando a defesa dos cidadãos, nesta fase de vulnerabilidade da sua vida1, sendo de destacar a Declaração da OMS para a Promoção dos Direitos dos Pacientes" ["In 1974, patients' rights also constituted a vague idea and away from the concerns of lawyers and political community. Indeed, it is in the 90s of last century, Europe was stepping up the protection of citizens, this vulnerable stage of their life1, most notably the WHO Declaration on the Promotion of Patients' Rights"]
    • Da bioética de princípios a uma bioética interventiva [From principle-based bioethics to an intervention bioethics]

      Garrafa, Volnei (Conselho Federal de Medicina, 2005)
      "A bioética, de origem estadunidense, tornou-se mundialmente conhecida por estar ancorada em quatro princípios básicos pretensamente universais e reconhecida como bioética principialista. A partir dos anos 90, começaram a surgir críticas à universalidade dos princípios e às suas limitações frente aos macroproblemas coletivos, principalmente sanitários e ambientais, especialmente verificados nos países periféricos do Hemisfério Sul. Nesse sentido, surge na América Latina, nos últimos anos, uma nova proposta epistemológica – a bioética de intervenção – de base filosófica utilitarista e conseqüencialista, tentando suprir essa lacuna. A partir de uma análise histórica do processo de consolidação do principialismo e da importação acrítica de teorias éticas forâneas, o presente artigo procura mostrar a necessidade de construção de bases conceituais diferenciadas para a bioética no sentido do adequado enfrentamento dos problemas persistentes rotineiramente detectados nas nações em desenvolvimento."
    • Da cabeça aos pés [From head to toe]

      Malzoni, Claudio (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, 1998)
      "Ao iniciar seu relato da paixão, Marcos narra uma unção de Jesus em Betânia, no decorrer de uma ceia, em casa de um certo Simão, o leproso. Jesus é ungido por uma mulher que, então, é criticada, por alguns dos presentes, pelo que fizera. Jesus toma a defesa dela, interpretando este gesto em vista de seu sepultamento, e, assim, introduzindo o tema de sua morte iminente."
    • Da catequese, nos 40 anos do concílio vaticano II [Catechesis, 40 years after the Vatican council II]

      Nery, Israel José (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, 2005)
      "Apesar da sua importância fundamental e da prioridade que ocupa na Igreja e para a Igreja1, a catequese é uma das áreas que mais sofre preconceitos, especialmente da hierarquia, de teólogos e de pastoralistas. Há causas. Algumas derivam de um catolicismo, hoje em crescimento, marcado pelo emocional, pelo devocional e pelo superficial, que dispensa estudar os fundamentos da fé. Outras são dependentes do modelo de Igreja da cristandade tão forte e arraigado, que ainda encontra sinais de vitalidade e até grupos que a queiram resgatar, e que tenta voltar a todo custo ao catecismo doutrinal, como se catequese fosse questão de catecismo."
    • Da chatice democrática à falta de projeto [Democratic bummer to lack of project]

      Machado, Ricardo (Instituto Humanitas Unisinos - IHU, 2015)
      "Frente a uma conjuntura complexa e que muda rapidamente, as interpretações sobre o- Brasil da atualidade passam por inú- meras dimensões e requerem diversas chaves de leitura para compreendermos melhor os processos em que estamos imersos. O sítio do Instituto Humanitas Unisinos - IHU, nas Notícias do Dia, publicou uma série de entrevistas com pensadores do cenário nacional, que ajudam a destrinchar as questões de fundo por trás do atual colapso em que o país mergulhou."
    • “Da comunidade de irmãos ao clube de empreendedores” ["The community of brothers to the club of entrepreneurs"]

      Gracino Júnior, Paulo (Koinonia, 2007)
      "A autor se propõe a situar algumas transformações em curso no cenário religioso brasileiro em suas possíveis relações com os desdobramentos da “modernidade tardia”. “Nossa principal preocupação será a de avaliar o impacto da “flexibilidade das relações sociais” e da crise da narrativa, promovidas por um capitalismo de curto prazo na organização do repertório religioso do neopentecostalismo.”
    • Da consciência de liberdade ao progresso, trilhas hegelianas [The consciousness of freedom to progress, Hegelian tracks]

      Junges, Márcia (Instituto Humanitas Unisinos - IHU, 2016)
      "A Lógica especulativa ou a verdadeira metafísica não é, para Hegel, uma lógica e uma metafísica; ela é, a um tempo, ló- gica e metafísica. Sua principal característica radica no estabelecimento de um novo método científio, o método especulativo, entendido como ‘a consciência sobre a forma do automovimento interior do conteúdo desta’, procedimento que consiste em observar sem intervir e, portanto, em deixar a própria coisa – no caso, as chamadas essencialidades espirituais – mostrar-se ao pensamento e no pensamento"