Show simple item record

dc.contributor.authorGodoi, Eliamar
dc.date.accessioned2022-01-09T19:37:46Z
dc.date.available2022-01-09T19:37:46Z
dc.date.created2021-12-29 00:31
dc.date.issued2016-05-10
dc.identifieroai:ojs.www.seer.ufu.br:article/29990
dc.identifierhttps://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/29990
dc.identifier10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29nEspeciala2015-p397a408
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/20.500.12424/4131561
dc.description.abstract[1] FERREIRA, Lucinda. Por uma gramática de Língua de Sinais. - [reimpr.]. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2010. 273p.*Doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia. Linguista e Pedagoga. Pesquisadora do Grupo de Pesquisas em Estudos da Linguagem, Libras, Educação Especial e a Distância e Tecnologias - GPELEDT. Atua no Processo de ensino e aprendizagem de Libras, Educação Especial, Educação a Distância e Linguagens. Por uma gramática de língua de sinaisResumo: Essa reimpressão da obra publicada em 1995, trabalho pioneiro em termos de Descrição da Língua de Sinais Brasileira, em que Lucinda Ferreira Brito passa a ser referenciada como 'Ferreira, L.', inicia-se com a autora esclarecendo sobre a origem da sigla LIBRAS e a sua adoção nessa obra. Já no prefácio, a autora atribui a decisão em adotar o nome LIBRAS no livro e na difusão dessa sigla advinda do resultado de uma reunião acontecida na FENEIS (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos) em outubro de 1993. A autora ressalta que, embora o nome LIBRAS não atenda aos padrões internacionais de denominação das línguas espaços-vi­suais, foram acatados os anseios dos surdos brasileiros em propagar o nome LIBRAS para a língua de sinais do Brasil. Preenchendo lacuna bibliográfica na área, o livro pode ser tomado como importante introdução aos estudos em Língua de Sinais, pois apresenta e discute aspectos fundamentais do campo do saber, aplicando-os à descrição da Língua de Sinais. O livro passa a ser referência obrigatória nos estudos e pesquisas envolvendo essa língua e nos cursos de Graduação e Pós-Gradua­ção em Libras. As três partes, subdividas em treze capítulos que compõem o livro, apresentam estrutura organizacional coesa, mantendo relação de continuidade entre si, mas podendo se constituir em unidades autônomas, já que, a partir do interesse dos leitores, pode-se conceber certa hierarquização.Data de registro: 13/04/2015Data de aceite: 26/08/2015
dc.format.mediumapplication/pdf
dc.language.isopor
dc.publisherEDUFU - Editora da Universidade Federal de Uberlândia
dc.relation.ispartofhttps://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/29990/18254
dc.rightsCopyright (c) 2016 Eliamar Godoi
dc.sourceEDUCAÇÃO E FILOSOFIA; v. 29 n. n.ESP (2015): v.29 n. Especial 2015; 397-408
dc.titlePor uma gramática de língua de sinais¹
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/article
ge.collectioncode0102-6801
ge.dataimportlabelOAI metadata object
ge.identifier.legacyglobethics:17882120
ge.lastmodificationdate2021-12-29 00:31
ge.lastmodificationuseradmin@pointsoftware.ch (import)
ge.submissions0
ge.oai.exportid148803
ge.oai.repositoryid98029
ge.oai.setnameResenhas
ge.oai.setspecEducacaoFilosofia:RES
ge.oai.streamid2
ge.setnameGlobeEthicsLib
ge.setspecglobeethicslib
ge.linkhttps://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/29990


This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record