Show simple item record

dc.contributor.authorSilva,Maria Laura Alves de Melo
dc.contributor.authorAmaral,Eliana
dc.contributor.authorMachado,Helymar da Costa
dc.contributor.authorPasseri,Silvia Maria Riceto Ronchim
dc.contributor.authorBragança,Joana Fróes
dc.date.accessioned2019-09-23T12:52:46Z
dc.date.available2019-09-23T12:52:46Z
dc.date.created2018-12-29 00:35
dc.date.issued2018-09-01
dc.identifieroai:scielo:S0100-55022018000300036
dc.identifierhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022018000300036
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/20.500.12424/8552
dc.description.abstractRESUMO A adoção de políticas públicas de inclusão pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) desde o processo seletivo de 2005, atrelada às modificações nos vestibulares de 2014 e, mais recentemente, no de 2016, possivelmente trouxe grandes mudanças no perfil do estudante de Medicina dessa universidade. Desse modo, o objetivo do presente estudo é avaliar o perfil sociodemográfico desses acadêmicos, bem como suas pretensões na escolha da carreira médica e da futura especialidade. O estudo de corte transversal foi realizado com 290 acadêmicos do primeiro, terceiro e sexto ano da graduação médica da Unicamp por meio de um questionário anônimo aplicado após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. Houve coleta de dados sociodemográficos, além dos fatores de influência para a escolha da profissão e da especialidade médica. A análise dos dados revelou uma amostra com idade média de 20-24 anos, predominantemente composta por mulheres (63,2%), da etnia branca (77,5%), procedentes do Estado de São Paulo (84,8%) e de regiões interioranas (62,3%). Para o primeiro ano, houve presença de negros (6,6%) e diferença estatística para pardos (22,6%), comparativa com o terceiro e sexto ano, egressos de ensino fundamental (42,5%) e médio (73,6%) públicos, com menor escolaridade materna (ensino médio) e renda familiar inferior (p < 0,001). Por sua vez, o terceiro e sexto ano eram compostos majoritariamente por alunos brancos (76,7% e 90,3%, respectivamente), oriundos de escola privada no ensino fundamental e médio, com maior escolaridade materna (ensino superior ou pós-graduação) e renda familiar mais elevada. Ainda, verificou-se variação das opções de especialidade ao longo do curso (p < 0,001). No primeiro ano, as especialidades mais pretendidas foram Cirurgia/Ortopedia (37,7%), Clínica Médica/Neurologia (23,6%) e Psiquiatria (11,3%). Para o terceiro ano, as especialidades mais desejadas foram Clínica Médica/Neurologia (40%), Cirurgia/Ortopedia (13,4%) e Ginecologia/Obstetrícia (13,3%). Entre os alunos do sexto ano, as especialidades mais escolhidas foram Clínica Médica/Neurologia (24,5%), Ginecologia/Obstetrícia (20,2%) e Cirurgia/Ortopedia (17%). Acadêmicos do primeiro ano também apresentaram diferentes aspirações abrangendo o local de trabalho futuro, com mais desejo de atuar somente no SUS ou em programas internacionais. Nesse contexto, os resultados apontam que a política de bonificação da Unicamp e suas alterações ao longo do tempo, em especial no vestibular de 2016, mostraram-se efetivas em democratizar o acesso à graduação médica, com maior pluralidade demográfica, social, econômica e étnica atreladas a variações na escolha da carreira e da especialidade médica ao longo das turmas analisadas.
dc.format.mediumtext/html
dc.languagept
dc.language.isopor
dc.publisherAssociação Brasileira de Educação Médica
dc.relation.ispartof10.1590/1981-52712015v42n3rb20170090r2
dc.rightsinfo:eu-repo/semantics/openAccess
dc.sourceRevista Brasileira de Educação Médica v.42 n.3 2018
dc.subjectGrupos Étnicos
dc.subjectCondições Sociais
dc.subjectEducação Médica
dc.subjectEspecialidades Médicas
dc.titleInfluência de Políticas de Ação Afirmativa no Perfil Sociodemográfico de Estudantes de Medicina de Universidade Brasileira
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/article
ge.collectioncode0100-5502
ge.dataimportlabelOAI metadata object
ge.identifier.legacyglobethics:16042324
ge.identifier.permalinkhttps://www.globethics.net/gel/16042324
ge.lastmodificationdate2018-12-29 00:35
ge.lastmodificationuseradmin@pointsoftware.ch (import)
ge.submissions0
ge.oai.exportid149512
ge.oai.repositoryid1796
ge.oai.setnameRevista Brasileira de Educação Médica
ge.oai.setspec0100-5502
ge.oai.streamid2
ge.setnameGlobeEthicsLib
ge.setspecglobeethicslib
ge.linkhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022018000300036


This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record